Novela sobre problemas dos jovens e busca pelo sucesso na música, O Amor É Nosso! estreou há 40 anos na Globo

Novela trocou de autor em poucas semanas e surgiram boatos de que um 'ônibus da morte' daria a fim a vários personagens

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 27 de abril, a TV Bandeirantes estreou às 18h30 a novela de época Os Imigrantes, de Benedito Ruy Barbosa. Cerca de meia hora depois, a TV Globo também estreou uma nova novela, em sua faixa das 19h: O Amor É Nosso!, de Roberto Freire e Wilson Aguiar Filho.

Inicialmente Wilson, que já havia escrito na emissora duas novelas e uma série, seria colaborador de Roberto, mas o processo de criação da novela acabou por fazer com que o psicólogo, que escrevia para o gênero desde os anos 1960, ‘promovesse’ o parceiro a ponto de dividir com ele a autoria titular da história.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De um lado estava Pedro (Fábio Jr.), de família humilde, cujo maior sonho é vencer como cantor e compositor no concorrido mundo da música. De outro, Maíra (Marlene), outrora estrela do rádio, hoje decadente, sob os cuidados da fiel amiga e secretária Lola (Yolanda Cardoso). Duas faces da dura vida de artista.

Ao sair de casa revoltado pela perda da namorada Selma (Zaira Zambelli) para o irmão, Cláudio (Ney Sant’Anna), Pedro vai morar numa comunidade de jovens, onde conhece os irmãos Bruno (Buza Ferraz) e Nina (Myrian Rios). Ele se apaixona pela moça, mas forma-se um triângulo com um amigo dela, o ex-seminarista Chico (Stepan Nercessian).

A comunidade tem na figura do Padre Leonardo (Stênio Garcia) alguém de forte ascendência moral e espiritual. No entanto, o trabalho do religioso acaba comprometido quando seu nome é envolvido nos rumores do desaparecimento da jovem Cíntia (Simone Carvalho), mal explicado – assim como o próprio caráter da relação dos dois.

Com pouco mais de dois meses no ar, o enredo trocou de mãos – saíram Roberto e Wilson e foi convocado para seu lugar Walther Negrão, que teve que desmentir na imprensa os rumores de que faria uma reformulação partindo de um ‘ônibus da morte’ no qual embarcariam personagens a ser eliminados.

Fala-se muito de O Amor É Nosso! – em geral, fala-se mal, inclusive. Existe até uma lenda em torno de um suposto descarte deliberado das fitas com os capítulos pela TV Globo, o que soa, no mínimo, como um grande disparate. Além do que, mesmo mal falada, a produção marcou índices de audiência consideráveis que certos ‘sucessos’ não igualaram. O TBT da TV do Observatório da TV fala nesta semana sobre O Amor É Nosso!. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio