Antonio Fagundes: de caminhoneiro a rei do gado, de bom moço a crápula, ator conquistou o Brasil

Na TV, a carreira começou na Tupi, mas logo tiveram início os mais de 40 anos de Globo

Publicado em 4/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em atividade desde os anos 1960, Antonio Fagundes provou repetidas vezes que é muito mais do que o galã que a televisão consagrou em diversas novelas. Ainda tido como tal, mesmo depois dos 70 anos, esse galã é também um dos grandes atores brasileiros.

Nascido no Rio de Janeiro em 1949, Antonio da Silva Fagundes Filho não demorou muito a radicar-se em São Paulo com a família. Foi na capital paulista que ele iniciou a trajetória de ator, participando de espetáculos históricos, tais como Arena Conta Tiradentes.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O teatro sempre teve importância na vida e na carreira profissional de Antonio Fagundes. Dezenas de outros espetáculos contaram com sua presença ao longo dessas décadas. Para citar apenas alguns: Sinal de Vida, Xandu Quaresma, Muro de Arrimo, Cyrano de Bergerac, Morte Acidental de Um Anarquista, Macbeth, Sete Minutos e Vermelho.

Não tardou para que o cinema e a televisão entrassem na vida de Fagundes. Em 1968 o ator fez seu primeiro filme, Sandra Sandra, dirigido por J. Marreco, tendo Bete Mendes como colega de cena. Na sequência ele seria Chicó em A Compadecida, versão do texto teatral de Ariano Suassuna O Auto da Compadecida para filme. João Grilo era Armando Bogus e Regina Duarte, Nossa Senhora, com direção de George Jonas.

Viriam outras quatro dezenas de produções cinematográficas, entre as quais O Menino Arco-íris, Pra Frente Brasil, A Próxima Vítima, A Dama do Cine Shanghai, O Corpo, Bossa Nova e O Grande Circo Místico.

As primeiras novelas da carreira de Antonio Fagundes foram exibidas pela TV Tupi. Entre elas, Bel-Ami (1972), Mulheres de Areia (1973) e O Machão (1974). Nas duas últimas, seu par romântico foi Maria Isabel de Lizandra, como Malu e Catarina, respectivamente. O ator viveu o peão Alaor e o rude sitiante Petrucchio.

Em 1976, Fagundes estreou na TV Globo, à qual esteve ligado por contrato até 2020. Na emissora, o ator participou de mais de 40 trabalhos, e teve parcerias de sucesso com profissionais como Gilberto Braga, Benedito Ruy Barbosa, Stênio Garcia, Dennis Carvalho e Regina Duarte.

Em várias novelas, como Dancin’ Days (1978), Corpo a Corpo (1984), Vale Tudo (1988), Rainha da Sucata (1990), O Dono do Mundo (1991), O Rei do Gado (1996), Por Amor (1997), Porto dos Milagres (2001), Gabriela (2012) e Bom Sucesso (2019), Antonio Fagundes viveu papéis variados, de bom moço a crápula, de executivo amoroso a coronel do cacau, de diplomata a pecuarista. Fora o caminhoneiro Pedro, da série Carga Pesada, que, tamanho seu sucesso, foi retomada quase 30 anos depois de encerrada, para novas aventuras pelas estradas brasileiras.

Antonio Fagundes também foi apresentador do game show juvenil É Proibido Colar (1981), na TV Cultura, ao lado de sua então esposa Clarisse Abujamra, e do interativo Você Decide, no ano de estreia da atração, 1992.

O Vale a Pena do Observatório da TV celebra o talento e a trajetória de sucesso de Antonio Fagundes, consagrado pelos mais distintos personagens. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio