Fala Que Eu Te Escuto repercute pagamento de propina pela Globo por direitos no futebol

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na madrugada desta quarta-feira (22), o programa Fala Que Eu Te Escuto, produzido pela Igreja Universal, mas exibido pela RecordTV, exibiu uma edição para repercutir a acusação de que a Globo teria pagado propina para ter vantagens em direitos de transmissão.

Para isso, o programa recebeu o jornalista Cosme Rímoli, comentarista de futebol do site da RecordTV, o R7. Rímoli explicou toda a situação, comentou como tudo aconteceu e quais são as acusações que a Globo responde.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Fala Que Eu Te Escuto critica Peppa Pig, filme de Gentili e tem Raul Gil opinando

Para ilustrar, foram exibidas reportagens feitas por Luiz Carlos Azenha e Heloísa Vilella, que já foram mostradas em telejornais com a RecordTV, como o Fala Brasil e o Jornal da Record.

Além disso, como de praxe, telespectadores participaram da atração religiosa. Uma das participações chamaram a atenção: uma pessoa, pelo Instagram, disse que os pastores estavam criticando a Globo por inveja.

“Alice, não é questão de ter inveja. Não temos inveja de coisa errada. A gente não quer falar mal dessa empresa ou daquela, não é nada pessoal, é um crime que está ocorrendo. A gente não tem medo de falar de nada”, respondeu o Bispo Edgard Brum, apresentador do programa.

Executivo da empresa Torneos y Competencias, da Argentina, que negociava direitos de TV de torneios da Conmebol como Copa Libertadores, Copa América, Copa Sul-Americana, entre outros, Alejandro Burzaco disse na semana passada que ele próprio pagou propina para mandatários do nosso futebol, como Ricardo Teixeira, José Maria Marim e Marco Polo Del Nero, este último atual presidente da CBF.

Alejandro comentou que fez parcerias com várias empresas de mídia do mundo por causa dos direitos de TV, citando, entre elas, a Globo. A Media Pro, da Espanha, o Fox Sports dos Estados Unidos, e a Televisa (Mexico) também foram citadas como as que teriam pago propina para terem prioridade nas negociações de direitos de transmissão.

Duas empresas de intermediação, a Traffic, do Brasil, a Full Play, da Argentina, também teriam pago propina para Alejandro para intermediarem as negociações de tiais direitos de TV.

O depoimento de Alejandro foi dado no processo que José Maria Marim, ex-presidente da CBF, está sendo julgado no Tribunal Federal do Brooklyn. Ele está em prisão domiciliar desde 2015 nos Estados Unidos.

Alejando não deu maiores detalhes de como a negociação da propina era feita. Segundo ele, apenas a Fox Latin America ficava ciente do pagamento de propina para contratos.

Em um extenso comunicado, a Globo negou de forma veemente que pague propina para ter direitos de transmissão. O JN, na última terça-feira (14), dedicou 5 minutos para se defender das acusações.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais