BBB20: Thelma ganha o protagonismo com “racha” do grupo hippie

Publicado há 6 meses
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O BBB20 não para de promover reviravoltas. A mais recente é a virada de Thelma, jogadora de caminho bastante regular, coerente e sensato, mas um tanto apagado. Porém, os holofotes foram finalmente voltados para a médica, que vem se tornando a fiel da balança. Neste momento decisivo do reality da Globo, Thelma se descola do grupo hippie e assume as rédeas de seu destino.

Inicialmente, Thelma figurava como uma das integrantes do lado da casa que derrubou o “grupo dos machos”. Ao lado de Marcela e Giselly, a médica fez uma boa leitura do jogo e ajudou as meninas a se fortalecerem. Entretanto, ela sempre apareceu como coadjuvante de luxo no grupo. O que não era muito justo, já que ela sempre esteve na linha de frente em vários momentos. Mas foi assim que ela foi pintada pela edição do BBB20 junto ao público.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Porém, aos poucos, Thelma percebeu que não era tratada como parte essencial do grupo do qual pensava fazer parte. Ao ouvir de Daniel que eles não tinham afinidades, a médica se viu cada vez mais distante do grupo “hippie”. Ao mesmo tempo, sua sintonia verdadeira junto a Babu a colocava como uma figura que circula entre os vários grupos da casa. Ou seja, neste momento em que se viu afastada da comunidade hippie, Thelma finalmente apareceu. Não é mais uma sombra. É uma jogadora, e das boas.

Saída de Pyong

Pyong deixou o BBB20 nesta terça-feira (17). A saída do mágico foi o primeiro banho de água fria junto aos hippies, que acreditavam estarem ditando o jogo. Esta impressão foi reforçada com os constantes paredões no qual seus desafetos foram sendo eliminados. Assim, pela primeira vez, a saída de Pyong despertou no grupo a sensação de que nem tudo o que eles acreditam é real.

Sendo assim, a comunidade rachou. E isso é bom para Thelma, que pode aproveitar esta fase onde não está vinculada a nenhum dos lados e se impor ainda mais no jogo. Isso é positivo, já que a médica é uma personagem das mais interessantes, e que sempre mereceu ser mais que coadjuvante. Este é o momento.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais