Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Grade antiga

Relembre as novelas que conviveram com Amor Com Amor se Paga nas exibições anteriores

A TV Globo enfrentava a concorrência da recém-estreada Rede Manchete e também do SBT

Publicado em 17/03/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Atualmente em exibição no Canal Viva, às 14h15 e à 0h30, a novela Amor Com Amor se Paga foi ao ar originalmente na TV Globo entre março e setembro de 1984, na faixa das 18h. Escrita por Ivani Ribeiro, a obra resgatava Camomila e Bem-me-quer, criada pela novelista para a TV Tupi em 1972/73. Relembre as principais atrações da TV brasileira na época em que a história do mão-de-vaca Nonô Correia (Ary Fontoura) estava em cartaz.

As novelas em cartaz na TV Globo na época de Amor Com Amor se Paga

Quando Amor Com Amor se Paga estava no ar como novela das 18h – e seus capítulos entravam no ar por volta das 17h50 -, o Vale a Pena Ver de Novo exibia às 13h30 Água Viva, de Gilberto Braga.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Originalmente apresentada em 1980, às 20h, a novela foi a primeira dessa faixa a ganhar reprise na sessão. Em suas últimas semanas, Amor Com Amor se Paga teve como “companheira de grade” a reprise de Final Feliz (1982/83), também de Ivani Ribeiro.

Às 18h45, até fins de julho a atração foi Transas e Caretas, de Lauro César Muniz. Em seu lugar entrou no ar Vereda Tropical, de Carlos Lombardi e Silvio de Abreu, recentemente disponibilizada no Globoplay.

Na faixa das 20h, até o final de maio foi ao ar Champagne, de Cassiano Gabus Mendes, e sua sucessora foi Partido Alto, de Aguinaldo Silva e Glória Perez.

Minisséries de quando Amor Com Amor se Paga foi ao ar

A Rede Manchete não exibia novelas ainda, mas com pouco tempo de operação já estreou sua primeira produção em teledramaturgia: a minissérie Marquesa de Santos, de Wilson Aguiar Filho, levada ao ar de agosto a outubro de 1984. O papel-título foi vivido por Maitê Proença, e o de D. Pedro I coube a Gracindo Júnior.

Com produção de minisséries em curso desde 1982, a TV Globo levou ao ar em 1984, enquanto Amor Com Amor se Paga era a novela das 18h, as seguintes histórias: Padre Cícero, de Aguinaldo Silva e Doc Comparato, com Stênio Garcia no papel central; Anarquistas, Graças a Deus, de Walter George Durst, da obra de Zélia Gattai, que narrou na história sua infância em São Paulo; e Meu Destino É Pecar, de Euclydes Marinho, da obra de Nelson Rodrigues, com os dramas de Leninha (Lucélia Santos): casada com Paulo (Tarcísio Meira), ela se apaixonava pelo cunhado Maurício (Marcos Paulo).

Na última semana de exibição da história de Nonô Correia (Ary Fontoura), a faixa das 22h passou a ser ocupada pela minissérie A Máfia no Brasil, de Leopoldo Serran, da obra de Edson Magalhães. Lucien (Reginaldo Faria) é membro de uma organização criminosa, cujas atividades são comprometidas depois de seu envolvimento com Heloísa (Márcia Porto), jovem de classe média que quer vencer como modelo.

Atrações da teledramaturgia do SBT nos tempos de Amor Com Amor se Paga

O SBT começou a exibir novelas em 1982, tanto produzidas nos estúdios da emissora quanto importadas, dubladas em português, de países como México, Porto Rico e Argentina.

Desde novembro de 1983 estava no ar em dois horários (19h e 20h30) a novela Vida Roubada, de Raimundo Lopes, a partir de original de Marissa Garrido. Suzy Camacho era a jovem Alice, que assume o lugar da falsa amiga Hilda (Eliane Giardini) diante de todos e tem que enfrentar os problemas e marcas deixados por ela. A história saiu do ar em junho de 1984.

Em seu lugar o SBT apostou em Meus Filhos, Minha Vida, de Ismael Fernandes, um drama centrado nos sofrimentos da viúva Dona Luzia (Mirian Pires) e seus três filhos: André (Dênis Derkian), Pedro (Carlo Briani) e Mário (Raymundo de Souza). A novela fez sucesso, ganhou uma segunda fase e terminou apenas em março de 1985.

Entre as importadas, na época o SBT apresentou, também em dois horários, Chispita, de Abel Santa Cruz, um sucesso protagonizado por Lucero no papel de uma menina órfã, reprisado algumas vezes, e Estranho Poder, produzida e protagonizada por Ernesto Alonso como Henrique de Martino, um perverso feiticeiro que marcou a história da teledramaturgia mexicana.

Falando de repetecos vespertinos, as Novelas da Tarde do SBT exibiram na mesma época de Amor Com Amor se Paga títulos recentes, do ano anterior, 1983: Acorrentada, A Ponte do Amor, Razão de Viver e Anjo Maldito.

Amor Com Amor se Paga no Vale a Pena Ver de Novo

A primeira (e até hoje única) reprise de Amor Com Amor se Paga no Vale a Pena Ver de Novo ocorreu entre outubro de 1987 e abril de 1988. A novela das 18h da TV Globo na época era Bambolê, de Daniel Más, baseada na obra de Carolina Nabuco.

No Rio de Janeiro de fins da década de 1950, tempos de JK e bossa nova, o viúvo Álvaro Galhardo (Cláudio Marzo) vive uma relação de muito amor e liberalidade com as filhas Ana (Myrian Rios), Yolanda (Thaís de Campos) e Cristina (Carla Marins). Relação tumultuada pela cunhada Fausta (Joana Fomm), que reprova o comportamento de Álvaro.

Na última semana da reprise, o cartaz do horário passou a ser Fera Radical, de Walther Negrão. Cláudia (Malu Mader) retornava à cidade de Rio Novo para vingar-se daqueles que julgava responsáveis pela chacina que vitimou sua família, quando ela era apenas uma criança, em meio à disputa de terras na região. Mas a paixão por Fernando (José Mayer), filho do fazendeiro Altino Flores (Paulo Goulart), pode colocar tudo a perder.

Na faixa das 19h, Brega & Chique, de Cassiano Gabus Mendes, estava no ar e foi substituída em 9 de novembro de 1987 por Sassaricando, de Silvio de Abreu – ainda em cartaz quando Amor Com Amor se Paga deixou as tardes da emissora.

O horário nobre da TV Globo era ocupado por Mandala, novela de Dias Gomes escrita também por Marcílio Moraes. Nessa transposição da tragédia grega da Édipo Rei para o Rio de Janeiro da segunda metade do século 20, Jocasta (Vera Fischer) procurava pelo filho que lhe fora tirado, ao passo que Édipo (Felipe Camargo) acabava se apaixonando por ela, sem saber que se tratava de sua mãe biológica.

Confira abaixo o vídeo das Curiosidades da TV do Observatório da TV que trata das novelas que conviveram com Amor Com Amor se Paga em suas duas exibições pela TV Globo!

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....