Máscaras, macacão e álcool gel são regra no set de filmagem em tempos de covid-19

Diretor de cena, Sergio Glasberg conta como é a nova rotina das gravações de comerciais de TV

Publicado há um mês
Por Edianez Parente
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com a pandemia do novo coronavírus, as filmagens em estúdios só puderam ser retomadas recentemente após a aprovação de uma série de medidas de segurança. Para a gravação de um comercial de TV de 30 segundos que leva um dia, o cenário todo remete a um filme de ficção científica.

Todos os profissionais usam uma roupa protetora branca (tipo um macacão), além de máscaras de acetato por cima de máscaras descartáveis. E álcool gel por todos os lados, em ambientes amplamente sinalizados com placas e cartazes sobre os cuidados a serem seguidos.   

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O diretor de cena Sergio Glasberg entrou no estúdio no início do mês para rodar um filme publicitário após vários meses exercendo o trabalho apenas de forma remota, com transmissão pela internet.  A maior dificuldade enfrentada por ele foi o calor que o macacão provoca. “No final do dia, eu estava todo suado”, diz.

Segundo Glasberg,  as novas medidas para se trabalhar exigem muita atenção a detalhes. Sua volta ao estúdio foi para um filme-relâmpago, feito com uma diária de filmagem.

Saber desta nova rotina para um comercial de 30 segundos dá uma ideia de como será o impacto das novas regras em projetos de maior duração, como por exemplo, os capítulos de uma novela

Antes do início da filmagem do comercial, no chamado trabalho de pré-produção, reuniões para acertos e testes de atores foram feitos de forma online, sem encontro físico em nenhum momento.

O filme dirigido por Glasberg é uma campanha do banco BV (criação da agência de publicidade SunsetDDB) e foi rodado no estúdio Cine Vídeo, em São Paulo.

Para o diretor, as novas exigências não alteram o trabalho da filmagem em si, mas exigem atenção extra no estúdio o tempo todo: não se aproximar e não deixar as pessoas se aproximarem, não tocar nas pessoas, cuidar o tempo todo de todos os aparatos (capas protetoras, máscaras etc.), álcool em gel por todo o lado. “A tensão maior no ambiente é pela situação de não se ficar próximo”, conta.

As roupas têm de ser escolhidas e preparadas previamente; assim, o figurino do elenco já tem de chegar ao set totalmente higienizado e não pode haver troca. No estúdio utilizado, havia um túnel sanitizador – destes que estão em alguns locais públicos, como estações de trem -, tapetes para os solados dos calçados etc.

O tempo gasto para se vestir e se maquiar se estendem. Cada ator tem de ser maquiado com um kit próprio de produtos. Na filmagem do comercial do BV, cada um dos oito atores tinha seu material em separado.

Antes da filmagem, no local, há um ensaio para os acertos das posições, falas etc. Nesta etapa, todos os atores atuam com máscaras e uma capa protetora sobre a roupa. Um especialista acompanha o tempo todo, trocando as máscaras do elenco a cada duas horas.

Como uma das regras é a proibição do preparo de alimentos no local, as filmagens não contam mais com refeitório ou serviço tipo bufê self service como costumava ser. “Também não temos mais o intervalo para o cafezinho, a água, o chocolate”, conta o diretor. As refeições são servidas em marmitas individuais e com talheres descartáveis.

No estúdio, também há limitação no número de pessoas. Embora a equipe envolvesse mais de 30 pessoas, eram no máximo dez dentro do estúdio a cada vez. O diretor destaca o ânimo extra de todos os envolvidos na produção: “Os atores todos demonstravam muita vontade de trabalhar; as pessoas estavam ávidas pela volta ao trabalho”.

Como cuidado extra, todos os profissionais fizeram o teste rápido de sangue (que medem o IgG e e IgM para covid-19), cujo resultado sai na hora, antes do início da diária; caso alguém estivesse infectado, não poderia filmar.

Os cuidados são máximos. O estúdio foi higienizado duas horas antes do início dos trabalhos, com todo o equipamento sendo também sanitizado. Terminada a filmagem, tudo é higienizado novamente.

Para o comercial, feito pela produtora Casa de Criação, Glasberg trabalhou com o diretor de fotografia Vitor Carvalho. O comercial já está no ar e pode ser visto abaixo:

Em São Paulo, as filmagens precisam seguir o Protocolo de Segurança e Saúde no Trabalho do Audiovisual, elaborado pelas entidades do setor e autorizado pela Prefeitura. Os protocolos de segurança estão no site www.filmesp.com.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais