Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
NO STAR+

Saiba por que é um grande erro assistir The Dropout dublada

Acompanhar a minissérie no som original, em inglês, faz toda a diferença

Publicado em 05/06/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Três meses após a estreia, finalmente o Star+ disponibiliza a minissérie The Dropout dublada em português. Embora a dublagem seja preferência nacional em se tratando de produções de entretenimento, de filmes a séries, e muitas pessoas estavam aguardando a versão dublada de The Dropout, acompanhar a trama sem ser com o áudio original é um grande erro, porque a essência da protagonista se perde na adaptação.

The Dropout conta a história de Elizabeth Holmes (Amanda Seyfried), golpista que deixa Anna Sorokin/Delvey de Inventando Anna (Netflix) no chinelo. Ela armou um esquema, aliando medicina e tecnologia, que enganou pacientes e investidores interessados em um procedimento inédito e (supostamente) revolucionário.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Nesse processo, a falsária criou uma voz fake, bem mais grossa do que a normal, parte da persona elaborada ao falar como a diretora-executiva da Theranos, a startup médica fundada por ela. 

A minissérie mostrou como isso se deu na realidade, principalmente no terceiro episódio, quando Elizabeth treinava a voz fake olhando para um espelho. Naquele tom grave, a empresária desejava passar credibilidade e confiança ao falar da maracutaia que ela concebeu, de realizar exames de sangue precisos, para detectar qualquer tipo de doença, usando apenas uma gota de sangue.

Na versão dublada, toda essa montagem da personagem se descaracterizou. Natália Alves, a atriz brasileira que fez a voz de Amanda Seyfried em The Dropout, engrossou a fala nessa cena do espelho acompanhando a personagem. Mas o mesmo não se repetiu dali para frente, quando Elizabeth se transformou e a voz dela foi divida em duas.

Quando Elizabeth estava na intimidade, o tom era o mais próximo do natural. A partir do momento que ela interagia como a executiva da Theranos, seja dentro da empresa, com investidores ou imprensa, entrava em cena a voz grossa fake. 

Isso faz toda a diferença para entender as motivações da personagem, detalhe perdido na versão dublada em português.

Elizabeth Holmes (à esq.) é interpretada por Amanda Seyfried em The Dropout

Voz fake, um caso à parte

Na vida real, a voz de Elizabeth Holmes foi um caso à parte durante a revelação de que ela na verdade era uma golpista. O tom baixo chamava a atenção. Ela abraçou o mito de que mulheres com vozes mais altas, finas (como a dela) são tratadas com menos respeito no mundo corporativo. Por isso ela criou a voz fake grossa e baixa.

Veja abaixo, em inglês, vídeo que compila algumas cenas de The Dropout com acontecimentos reais de Elizabeth. Dá para perceber como o tom de voz de Amanda Seyfriend se aproxima ao da empresária:

No talk show do Jimmy Fallon, Amanda falou sobre como achou a voz da personagem:

E neste vídeo há um áudio, retirado de um podcast, que mostra Elizabeth se descuidando e misturando a voz fake com a voz real durante uma entrevista:

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....