O subestimado Lobato surpreende Leônidas no processo da paternidade de Leo

Preterido em favor de Tavinho, o advogado mostra toda a sua habilidade ao representar Lucas

Publicado há 3 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Já faz tempo que Leônidas Ferraz (Reginaldo Faria) colocara na cabeça a ideia de reconhecer Leo (Murilo Benício), clone de Lucas (também Murilo Benício), como seu filho legítimo, em O Clone. Desde que vira o rapaz e ficou chocado com sua semelhança com seus filhos gêmeos.

No entanto, o milionário escolhera Tavinho (Victor Fasano) para representá-lo na batalha judicial contra Deusa (Adriana Lessa), ao invés de optar por Lobato (Osmar Prado), bem mais experiente e, por que não dizer, competente do que o marido de Lidiane (Beth Goulart). Tanto assim que Tavinho tem pedido ajuda a Lobato todo o tempo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mas Lucas confiara no talento de Lobato, a despeito de seu histórico de problemas com álcool e drogas, e delegara a ele a tarefa de representá-lo, na tentativa de barrar a ação do pai para tornar Leo tão seu filho quanto Lucas e Diogo (também Murilo Benício) aos olhos da lei.

Em sua argumentação, Lobato declara que Alberti (Juca de Oliveira), geneticista responsável pela experiência que deu origem ao clone, ou seja, a Leo, é que deve ser apontado como pai do jovem, não Leônidas. É fato que os genes de ambos coincidem, mas como dizer que Leônidas é o pai de Leo e sua esposa, Celina, falecida antes mesmo do nascimento do rapaz, é a mãe?

Conjugados fatores como a lei, a ética, o histórico de vida de Leo e da mãe, Deusa, e as circunstâncias que envolvem o nascimento e a criação do clone de Lucas, Lobato levanta um ponto que é ignorado por quem considera apenas o fato de Lucas ter sido “copiado”, e sua lucidez surpreende Leônidas.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais