O Sétimo Guardião: Conheça parte do elenco e personagens que vão embalar a novela

Publicado há 2 anos
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No próximo dia 12 a Rede Globo estreará O Sétimo Guardião. O folhetim escrito por Aguinaldo Silva marca o retorno do autor ao realismo fantástico. A trama reúne um grande elenco e nomes como Bruno Gagliasso, Lilia Cabral, Marina Ruy Barbosa, Ana Beatriz Nogueria, Marcello Novaes e outros. Conheça parte do elenco e os personagens que vão embalar a história que se passa em Serro Azul.

Veja também: O Sétimo Guardião: Conheça Gabriel Marsalla, o herói da história

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Aílton Graça – Padre Ramiro, 45 anos, pavio curto, em suas missas não tolera conversa paralela, roupa indecente e criança malcriada. Costuma parar a cerimônia para dar “esporro” (como ele mesmo diz) em quem o incomoda: “quem tá rezando a missa sou eu ou é você? – reclama. Apesar de ser bastante rígido com os fiéis que frequentam sua paróquia, abusa do seu poder para manipulá-los e conseguir o que quer, incluindo favores pessoais. Tudo, sempre, usando o nome de Deus. Mora com o sacristão Maltoni, que trata como se fosse seu filho. É cético com relação à existência de qualquer força sobrenatural que não venha de Deus, e quando alguma coisa não se encaixa nesta sua crença diz que é “coisa do diabo”.

Jurandir se revolta ao descobrir que Elisa está namorando Maltoni

Paulo Miklos – Jurandir Rangel, 47 anos, homem rígido, criado e educado rigorosamente nos preceitos católicos. Se autointitula católico fervoroso. É do tipo que assiste a todas as missas da Igreja e coopera com o padre nas festividades. É o primeiro a chegar e o último a sair. Tem uma única filha, Elisa, a quem ele cria com pulso firme, já que deseja que ela siga o seu exemplo e tenha uma vida religiosa, conseguindo um bom casamento e se tornando uma boa dona de casa.

Ele se revolta ao descobrir que Elisa está namorando Maltoni, o belo sacristão da igreja. O que ele não espera, no entanto, é se apaixonar pela mística Milu, o oposto da mulher por quem gostaria de se apaixonar. O fascínio que Milu exerce sobre Jurandir é tanto que quando estão sozinhos, ele se solta e esquece a beatice.

Giullia Buscacio – Elisa Rangel, tem 19 anos, bonita, cabelos na altura da cintura, se veste sempre de maneira bem discreta e com roupas bem fechadas. É a melhor amiga de Luz. Será sempre a esta amiga que a protagonista irá recorrer quando precisa desabafar. Moça devota, lê a bíblia e frequenta a igreja. Mas como toda adolescente, também quer sair com as amigas, tomar sorvete, andar pela praça… Porém o pai sempre a proíbe de fazer isso. Nas suas idas à igreja se encanta com a beleza do sacristão Maltoni e, incentivada por Luz, decide conquistar o rapaz. Mas suas investidas serão sempre desastrosas, uma vez que ela não leva muito jeito para paquerar. Essa relação irá gerar comentários maldosos na cidade e uma verdadeira guerra com seu pai.

Maltoni de vez em quando anda nu pela cidade

Matheus Abreu – Maltoni Ferraz, 21 anos, órfão adotado pelo padre Ramiro. Belo, atlético, fervoroso, apesar da vida dedicada à sacristia e à igreja, adora esportes, o que chama atenção das moças da cidade. Vai se envolver com a jovem Elisa, filha do beato Jurandir. Entre ele, Elisa, Luz e Gabriel irá surgir uma grande amizade. Maltoni de vez em quando anda nu pela sacristia, de madrugada, por causa dos seus ataques de sonambulismo. O que faz com que as mulheres fiquem enlouquecidas tentando descobrir quando isso vai acontecer.

Leopoldo Pacheco – Feliciano Pataxó, remanescente de uma tribo que habitou o local em priscas eras e originalmente tinha a missão de guardar a fonte. Mendigo que anda pelas ruas da cidade portando um visual sujo e precário, o que incomoda a muitos, mas a ele nem um pouco. Aparenta ser maluco aos olhos de grande parte dos moradores, mas no fundo é o mais sensato de todos. Um sábio que transmite uma imagem deturpada de sua sabedoria para não despertar suspeitas em relação à mesma.

Ana Beatriz Nogueira – Ondina, exuberante, alta, elegante muito bem distribuída fisicamente, não dispensa um salto nem um vestido repleto de babados. Tem voz sensual, gargalhada peculiar e gesticula em excesso ao falar. É dona da Paraíso do Serro, uma pousada que recebe os forasteiros e raros turistas que visitam a cidade. Uma passagem secreta – um túnel! – liga o estabelecimento comercial a outro, que faz fundos com ele e cuja porta principal dá para outra rua: um bordel no qual trabalham quatro moças que, durante o dia, são as camareiras da pousada.

Lady Gaguinha De tanto “bancar a fina” acredita que realmente o é

Carol Duarte – Lady Gaguinha ou Stefânia, 26 anos, gagueja quando fica nervosa. Corpo sensual e elegante. Trabalha no Paraíso do Serro. Sua família tinha posses, mas perdeu tudo. Para sobreviver e “não dar despesa” à família veio para Serro Azul, onde ninguém a conhecia, trabalhar no prostíbulo. Como é mais refinada que as outras, foi treinada por Ondina para “bancar a fina”, sendo este o seu diferencial para atrair clientes. De tanto “bancar a fina” acredita que realmente o é. Gosta do trabalho que faz. Por sua sofisticação as colegas maldosamente a apelidaram de Lady Gaguinha. Vai se apaixonar por João Inácio, um dos seus clientes eventuais, e a paixão será recíproca.

Lyv Ziese – Mudinha ou Katiucha, 25 anos, outra das meninas do Paraíso do Serro. Ruiva, bonita e ótima ouvinte. Quase nunca transa. Fica mais de ouvinte dos clientes, que preenchem o seu silêncio com muitas confissões inesperadas. Paira uma dúvida sobre ela: é realmente muda ou decidiu não falar? Esta dúvida será logo esclarecida.

E mais!

Mila Carmo – Soltinha ou Januária, extremamente feminina, gostosa, branca como a neve da Noruega, de olhos claros e cabelos louros de farmácia, é das meninas da casa de Ondina a mais bonita. E é das boas! Não abre mão de um bom decote e de seus vestidinhos curtos. Debochada e engraçada, é a principal atração da Pousada Paraíso do Serro. Veio de um lar conturbado. Nunca soube quem foi seu pai. Sua mãe casou quando ela ainda era muito pequena e seu padrasto era um homem violento e abusivo, o que a levou a sair de casa e se prostituir. Sabe usar de sua sensualidade para encantar os homens e conseguir o que deseja. Embora olhe para o mundo com muita desconfiança, não perdeu a doçura e a esperança de uma menina que sonha com o grande amor.

Presinha ou Luciana, tem 26 anos e esse apelido é por ter a língua presa

Josie Pessoa – Presinha ou Luciana, é uma das meninas do bordel de Ondina, tem uma qualidade que atrai alguns homens, aos quais trata como “verdadeiras cachorras”: é masculinizada. Veio da cidade grande. O pai foi um cantor conhecido, mulherengo e beberrão, que morreu cedo. Uma referência importantíssima na vida de Presinha a quem ela tentou imitar: queria ser cantora, mas, por causa da língua presa – nem todo mundo se chama Cazuza -, não deu. Adamastor a conheceu sem ter onde cair morta numa de suas turnês fracassadas, e a levou para o bordel de Ondina que, com sua experiência de vida, logo percebeu que o ar masculinizado dela poderia atrair a curiosidade de muitos homens.

Tem gay na trama

Teodoro Cochrane – Adamastor, mas também poderia ser Davis ou, para estar mais atualizado, Streep, já que é fã das grandes divas do salto alto no cinema. Ele próprio é alto (sem precisar usar salto), loiro, magro e elegante. Trabalha no cabaré de Ondina como barman e caixa. Confidente e grande amigo da proprietária, na qual faz massagens relaxantes. Tem sempre um conselho humorado para a sua grande amiga e também para as meninas do cabaré. É refinado e, por isso, os homens da cidade dizem que ele é…bem, é veado. E ele é. Mas jamais confirmará, mesmo que seja pego com as calças na mão. É perseguido pelo homofóbico delegado Machado, porém devolve as agressões com classe e ironia ferina. Ama o cinema, mas abre uma exceção à música sempre que ouve alguma coisa da Simon.

Zezé Polessa – Milu, 50 anos, a quarta subguardiã da fonte, sem grandes preocupações com a aparência física, costuma se apresentar como “uma mulher normal”… Coisa que absolutamente não é. Dona de uma loja de produtos esotéricos frequentada por moradores que lá vão em busca de seus “chazinhos milagrosos”. Não é má, mas, às vezes, querendo fazer justiça com as próprias mãos, utiliza os chazinhos para cometer pequenas maldades ou, como ela também diz, “travessuras”. Alguns dizem que é bruxa e que em determinadas noites voa sobre a cidade montada em uma vassoura – há quem jure que a viu fazer isso. Na verdade Milu é apenas portadora de alguns conhecimentos mágicos adquiridos em livros, além de uma experiência de vida e um senso de observação que lhe permite traçar um perfil certeiro do chamado Ser Humano.

O gato místico

Leon, 80 anos, o gato de estimação de Egídio, seu companheiro de solidão. O que os guardiões comentam entre si sobre ele é que nasceu sob a forma humana com a missão de ser um guardião-mor. Mas por se recusar a assumir essa missão fora condenado a assumir a forma de um gato. Pode reassumir a forma humana esporadicamente, mas só quando isso for necessário ao cumprimento de sua missão junto ao guardião-mor. Só se livrará da maldição depois de servir a dois deles, ganhando sua liberdade de volta somente quando um terceiro guardião-mor assumir definitivamente seu posto. Dotado de extrema astúcia, Leon é o único que não se deixa enganar quando Sampaio chega à cidade, descobre o segredo da fonte e se apresenta como o novo guardião, tornando-se a grande pedra no caminho desse homem.

E mais!

Isabella Garcia – Judith, ela tem 40 anos, gordinha, sem vaidade. É casada com Robério, mas não confia no marido, por isso sempre deu um jeito de não engravidar dele. No passado foi curada pelas águas da fonte. Foi assim que chegou a Egídio, para quem hoje trabalha como governanta. De uma lealdade inabalável, é a única pessoa que fala com o guardião com certa autoridade. É uma mulher sensitiva, diz que consegue perceber uma “aura” em poucos minutos de convivência… E atribui isso à sua proximidade com o guardião.

Heitor Martinez – Robério, 38 anos, jardineiro do casarão de Egídio, marido de Judith. Como Feliciano, ele também tem sangue índio, mas nenhum interesse na cultura do seu povo. Sonha em ser rico e ter um casarão tão grande quanto o do patrão. Por conta da beleza e do vigor dos jardins de que cuida ganhou fama de grande jardineiro. Por isso começou a ganhar alguns trocados com a venda de mudas para senhoras a cidade. O problema é que as mudas não vingam fora do casarão e isso lhe desperta a suspeita de que algo sobrenatural interfere na saúde das plantas.

É capaz de usar seu charme, elegância e fina educação para conseguir tudo o que deseja

Tony Ramos – Olavo, quatrocentão paulista, portador de uma ambição desmedida, é uma fera nos negócios. Empresário do ramo da construção civil e dos bancos, não hesita em usar recursos não muito éticos para atingir seus objetivos. Ludibriar, enganar e mentir são seus mais leves defeitos. Possui uma falsa adoração por Valentina e usa essa amizade como apoio em seus diversos golpes e falcatruas.

A moral e a ética jamais estarão presentes em sua vida. Um ser que não mede esforços quando o assunto é se dar bem em cima da desgraça alheia. Diz a lenda que sua mulher não suportou quando descobriu a verdadeira índole do marido e se matou inalando gás, mas as investigações policiais decidiram que tudo não passou de um acidente. Este homem terrível tem um ponto fraco – o amor pela filha. Laura é sua única e verdadeira paixão, e ele é capaz de fazer qualquer coisa para vê-la feliz. É o par perfeito para Valentina, embora nenhum dos dois até agora tenham pensado nisso, que simplificaria de uma vez por todas suas complicadas vidas.

O projeto de Leonardo é fazer um documentário sobre a cidade de Serro Azul

Jaffar Bambirra – Leonardo, filho único da Clotilde e Tobias, desde pequeno aprendeu a gostar de cinema vendo os filmes da sessão da tarde. Com o advento do DVD passou a colecionar vídeos de filmes antigos e quando chegou ao blu-ray já era cinéfilo. Daí a conseguir que a mãe lhe comprasse uma câmera de filmar foi um passo. É um jovem bonito, alto, escondido atrás de pesados óculos, tem fama de esquisito e de intelectual. Vive a filmar tudo e todos com sua câmera. Seu projeto é fazer um documentário sobre a cidade de Serro Azul e a história de seus habitantes. Por esse motivo vai filmar sem querer o que não deveria e colocar em risco o segredo da sociedade secreta. Vai se envolver com a bela e jovem esposa do delegado, Rita de Cássia.

Roberto Birindelli – Tobias, ele tem 45 anos, gostosão, mas bronco feito uma porta. Faz um contraponto ao jeito espalhafatoso de Clotilde, sua mulher. É um homem em quem se pode confiar, tanto que muitos dos que passam por seu bar/armazém de secos e molhados – o único da cidade, aliás – fazem-no de “orelha”. Ressente-se pela falta de interesse do filho, Leonardo, pelos negócios e, ao contrário da mulher, acredita que essa história de cinema é uma loucura que não levará o rapaz a lugar algum. Aos olhos de todos, não tem afinidade alguma com Clotilde, mas os dois pegam fogo na cama e nos lugares pitorescos que a mulher escolhe para, como ela diz, “discutirem a relação”. Nessas ocasiões, de vez em quando levam um flagrante e são pilhados em pleno ato.

Clotilde é a única pessoa com quem Valentina Marsalla mantém contato (distante) em Serro Azul

Adriana Lessa – Clotilde, aí pelos 40 anos, é mulher vaidosa, de muitos sorrisos e lábia, vendedora nata. Veste-se de “perua” e adora citar seu sobrenome – Mondim – , herdado de seus pais, ricos fazendeiros que, segundo ela, perderam tudo ao ser passados para trás por um sócio, mas na verdade esbanjaram até falir. É a única pessoa com quem Valentina Marsalla mantém contato (distante) em Serro Azul, não porque queira, mas por conta da insistência da outra, que durante anos tentou se aproximar dela, ate que conseguiu… e passou a ostentar com as roupas velhas que a outra lhe manda, embora nunca diga que as ganhou dela. E estas são tantas que ela até montou uma lojinha de roupa feminina onde as revende.

De voltas às novelas

Carolina Dieckmann – Afrodite, no auge de seus 47 anos, aparentando ainda menos, a bela esposa do chapeiro Nicolau é uma mulher de fartos atributos – em todos os sentidos. Voluptuosa e cheinha, dona de uma sensualidade natural, é uma mãe amorosa e uma mulher dedicada ao marido, a quem ajuda no trailer de lanches. Entretanto, vive uma relação de gato e rato com Nicolau porque ele insiste em ter mais filhos – ou “fazer um jogador de futebol”, como diz – e a trata como uma verdadeira coelha (não por menos, a chama de “coelhinha”). Amiga de Milu, patroa de sua filha Rivalda, tem nela uma aliada em sua divertida saga para fugir do assédio constante do marido, embora nem tudo vá sempre ocorrer como elas planejarem. Em uma dessas desastrosas armações, acabará engravidando de trigêmeos! Como se não bastasse os quatro que já tem.

Confira detalhes dos bastidores da novela

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio