Novas regras e disputa entre técnicos marcam a décima edição do The Voice Brasil

Programa reformulado estreia no próximo dia 26

Publicado em 22/10/2021 15:52
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A décima temporada do The Voice Brasil estreia no dia 26 de outubro com formato inédito e exclusivo da versão brasileira. Na linha de frente estão os técnicos Carlinhos Brown, Claudia Leitte, IZA e Lulu Santos. Cada um deles começa o reality com 18 vagas no time.

Uma das novidades é um quinto técnico que pode formar um grupo extra com as vozes deixadas de fora pelos demais técnicos. Essa missão será de ninguém menos que Michel Teló, pentacampeão reality show e campeão do The Voice Kids de 2021.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com direção artística de Creso Eduardo Macedo e de gênero de Boninho, o programa apresenta novas regras e uma disputa entre técnicos bastante acirrada. Entenda melhor como será a dinâmica.

As novas regras do jogo

Com um formato nunca visto pelo público, o The Voice Brasil guarda uma chance extra para vozes que não conquistarem os técnicos oficiais nas apresentações. Isto porque, se não aprovadas, ainda nas Audições às cegas, elas podem ser escolhidas por Michel Teló para o seu grupo, conforme consta na introdução desta matéria.

O mesmo acontece na fase Tira-teima: os candidatos eliminados, além de poderem ser salvos pelo “peguei” dos demais técnicos, também concorrem às vagas de Michel Teló. Já nas Batalhas, o privilégio é todo do Time Teló, pois somente ele tem o poder de resgatar as vozes.

O público acompanha a formação dos cinco times do reality musical desde a estreia. Mas, somente na fase Batalha dos técnicos, os grupos passam a competir de igual para igual. É nesta etapa da competição que Teló deixa seu set privado para assumir de vez uma cadeira no palco do programa ao lado dos outros técnicos, e coloca suas vozes em pé de igualdade com as demais concorrentes ao primeiro lugar.

Também novidade deste ano, a fase Batalha dos técnicos, de volta ao The Voice Brasil, promove uma disputa direta entre os técnicos. O resultado está em suas próprias mãos: pela primeira vez, Carlinhos Brown, Claudia Leitte, IZA, Lulu Santos e Michel Teló votam uns nos outros.

Na dinâmica, um técnico desafia um rival para um duelo. O vencedor é definido pelos votos dos três técnicos que não estiverem participando do embate. Tudo fica ainda mais acirrado com um bônus especial: o técnico que obtiver mais vitórias ao final de todos os duelos de que participar ganha uma vantagem para a fase seguinte.

Os técnicos: peças cruciais

Lulu Santos é o único dos técnicos que esteve em todas as dez temporadas do The Voice Brasil. Foi vencedor da terceira edição, com a dupla Danilo Reis & Rafael, e busca, agora, o bicampeonato. Esta trajetória é motivo de orgulho para o artista. “Nunca imaginei que faria televisão por tanto tempo. Mas me sinto honrado! O convite para o ‘The Voice Brasil’ é irrecusável. Estou aqui para emprestar ouvidos, coração e mente para as esperanças, projetos e desejos das vozes. Isso ativa a empatia”, comenta Lulu.

A cantora Claudia Leitte traz a experiência do que pode ser chamada de “família Voice” para este ano, já que esteve nas três versões já exibidas do reality show da Globo. “Nessa temporada eu vou trazer um pouco do que aprendi no ‘Kids’ e no ‘Voice+’. Estou voltando feliz e mais segura que nunca! Faço o meu jogo muito pelo coração, mas se engana quem acha que não estou vendo todas as peças do tabuleiro… Tô ligada”, diverte-se ela.

Já Carlinhos Brown, que venceu o primeiro The Voice Brasil com a candidata Ellen Oléria, em 2012, aposta nas novidades do formato como um reforço. “Minha intuição diz que este será um ‘The Voice’ histórico, ainda mais especial, com momentos que marcarão para sempre nossas vidas e nossos corações”, pontua.

Brown ainda ressalta a função de Michel Teló como algo que promete reviravoltas no game: “A ideia do quinto técnico é uma sacada genial porque aumenta as chances para os candidatos e deixa o programa mais quente. O negócio é ficarmos de olho e ainda mais atentos com nossas escolhas porque Telozinho não deixa passar nada”, revela.

Teló, por sua vez, declara o que deseja para a décima edição após tantas vitórias. “Quero que seja um time de superação, de pessoas que teriam que voltar para casa, em um dia que não foram tão bem, e de repente têm outra oportunidade. Vou trabalhar com muito carinho para Time Teló chegar chegando e mostrar que a gente pode se superar”, adianta.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio