Fernanda Lima adianta novidades da nova edição do Amor & Sexo: “As coreografias estão muito potentes”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A décima temporada de Amor & Sexo estreia na próxima terça-feira (09/10), na Globo. Comandado por Fernanda Lima, o programa mantém a proposta de discutir sexo e comportamento de maneira bem elaborada, sem perder o bom humor, e traz duas novidades no elenco: a cantora Mylena Jardim, vencedora do The Voice Brasil 5, e a filósofa Djamila Ribeiro.

Para o Observatório da Televisão, Fernanda falou sobre os preparativos para a estreia e sobre uma exposição especial com os figurinos usados desde a primeira temporada da atração. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia mais: “Perdi alguns amigos com a minha honestidade”, revela maquiador Agustin Fernandez, sobre apoiar Bolsonaro

Como está a expectativa para a estreia da nova edição do programa?

A gente está muito feliz com o resultado da temporada. Talvez, é a temporada mais importante de nossas vidas, super ecológica e a gente está fazendo a nossa parte. Continuamos firmes e fortes falando de sexo, comportamento. É um programa político. A gente deriva para outros assuntos, como a gente fez ano passado.

É mais ou menos o mesmo esquema do programa. Falamos de temas que já falamos. O mundo está mudando com uma velocidade imensa, então cada ano tem que falar dos mesmos assuntos só que com outra abordagem.

Quais as novidades dessa nova temporada?

Temos a Djamila Ribeiro na bancada. Temos convidados muito especiais. As coreografias estão muito potentes, muito lindas, cada vez mais difíceis de decorar e mais longas. A Milly Lacombe é uma escritora sensacional, sempre fui muito fã dela. É uma amiga de longas datas, e agora temos essa mulher na bancada e como roteirista também do programa.

“A gente achava um absurdo as coisas que ela falava”

Fala um pouco sobre a Mylena Jardim, vencedora da 5ª edição do The Voice Brasil e nova integrante da banda do programa.

A Mylena tem 19 anos e chegou para cantar na nossa banda. Nas primeiras gravações ela ficou um pouco olhando tudo aquilo, ouvia. Mas, eu acho, que ao longo (das gravações) ela foi se acostumando, relaxando.

Você já ficou surpresa com temas e comentários abordados no programa?

Quando a Regina (Navarro Lins) chegou nos primeiros anos, a gente achava um absurdo as coisas que ela falava. Ela é uma mulher muito moderna. Hoje a gente mudou. Eu acho tudo absolutamente normal. Os tempos mudam, a gente muda junto. Isso que é maravilhoso, não é à toa que estamos tudo isso na TV.

De que maneira você acredita que o Amor & Sexo ajuda o público?

Eu lembro que na primeira coletiva do Amor & Sexo, falamos que se a gente puder colaborar e contribuir, pelo menos, para uma pessoa dormir melhor e acordar mais autêntica, com mais certezas e com alguns compartilhamentos, isso para nós já serviu. E a gente continua pensando da mesma maneira. Se conseguirmos ajudar uma pessoa que está lá longe em um canto qualquer do Brasil, sem acesso ao diálogo, sem o apoio e sem a comunicação. Se a gente conseguir atingir essa pessoa, a nossa missão feita.

Fernanda Lima fala sobre exposição do Amor & Sexo

Como surgiu a ideia de montar uma exposição com os figurinos do programa?

A exposição foi uma ideia que surgiu da minha cabeça. Desde que começamos a fazer as temporadas mais lúdicas, com shows e musicais, fizemos com que o figurino acompanhasse as temáticas do programa e do show inicial. O figurino estava sendo uma parte muito importante da nossa reflexão sobre o programa e, cada vez, ele foi ficando mais elaborado.

Eu, particularmente, sou muito apaixonada por sei como é que surge a ideia do programa. Às vezes na mesa de jantar eu começo a pensar sobre o programa. Às vezes no programa surge uma ideia para o figurino, a partir de uma letra de uma música, a partir de uma crise de um amigo que está se separando. São diversas fontes que fazem a gente criar um programa para ele ficar do jeito que vocês assistem.

“Eu senti uma vontade de preservar essa memória”

O figurino, realmente, é uma parte muito importante para gente. E eu senti uma vontade de preservar essa memória. Então pedi à Globo para guardamos porque eu achava que, um dia, poderíamos expor esses figurinos. Não sabia como, nem quando e nem por quê. Eu só tinha essa sensação de que deveríamos guardar esse material.

Algum figurino ficou danificado?

Tinha muitos guardados há muitos anos. A gente teve um trabalho lindo e enorme de colar peças que tinham sido soltas. Fomos juntando todas partes e está aí o resultado do trabalho. A assessoria da Globo foi fantástica porque fizemos muito rápido. Na verdade, foi quando a gente gravou o último programa, sentamos para falar sobre isso (a exposição). A gente teve um mês e um pouquinho para preparar tudo isso.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio