Com dramaturgia estacionada, Globo e Record TV aumentam a oferta de reality shows

Emissoras aumentam espaço de realities em suas grades

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A pandemia da covid-19 dificultou os trabalhos da teledramaturgia. Novelas e séries tiveram que botar o pé no freio em suas gravações, afetando consideravelmente a grade de programação de Globo, Record TV e SBT. Por isso, os canais abertos têm mirado suas apostas em reality shows, que estão se mostrando uma boa alternativa ao atual contexto.

A Record TV já vinha com uma linha de realities há alguns anos. Mas, neste ano, os esforços estarão concentrados em realities de confinamento. Afinal, confinar pessoas dentro de um protocolo de segurança permite uma viabilidade de produção que a dramaturgia não tem. Assim, além de retomar o Power Couple e apostar novamente em A Fazenda, a emissora também terá A Ilha.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ou seja, os realities de confinamento da emissora atravessarão todo o ano, diariamente, a partir de maio. Isso garantirá a temperatura da grade de programação, que fica com poucas opções diante das várias (e necessárias) medidas de segurança em tempos de pandemia. Com três realities seguidos, a Record garante a atenção do público e, de quebra, surfa no sucesso comercial que certamente alcançará.

Globo

Enquanto isso, a Globo não terá um reality diário com o apelo do BBB 21 ao fim da atual temporada. Mas preencherá sua linha de shows com outros formatos no mesmo segmento. A grande aposta será a volta de No Limite, que ocupará as noites de terça. Enquanto isso, as quintas-feiras terão uma nova temporada de Mestre do Sabor.

No Limite é um formato de apelo, que já deu muito certo no passado. A ideia ao resgatá-lo é ter na grade um produto capaz de gerar um engajamento semelhante ao do BBB. Ou seja, um programa que gere fofoca, conteúdo, e que seja capaz de abastecer os demais programas de entretenimento da Globo. Já que as novelas ainda serão reprises, os realities serão a grande “novidade”.

Enquanto isso, Mestre do Sabor já mostrou não ser capaz de gerar tanto engajamento. Por outro lado, tem um potencial de faturamento enorme. Como as reprises de novelas não faturam tanto, aumentar a oferta de realities também ajuda o canal a se manter operando no azul.

No segundo semestre, o The Voice Brasil é quem ocupará este espaço das terças e quintas. Assim, pela primeira vez em muitos anos, a linha de shows da emissora não terá tantos produtos de dramaturgia, como séries e minisséries, que seguem com suas gravações suspensas. Os reality shows dominarão o horário.

SBT

Mas e o SBT? Com reprises em várias faixas de horários, a emissora de Silvio Santos não tem se mexido muito durante a pandemia. Porém, até ela fará novas apostas no segmento. O canal seguirá exibindo Bake Off Brasil, além de lançar o novo Te Devo Essa Brasil, com Dony De Nuccio. Também terá um novo formato de reality culinário com Sergio Marone.

O SBT não tem programas que sejam capazes de gerar o mesmo engajamento de um BBB, ou de uma A Fazenda. E é essa a grande deficiência da atual grade da emissora. Se, no passado, uma novela de sucesso garantia uma boa fatia de público e anunciantes, agora o que garante é reality show de sucesso. Em tempos de pandemia, o formato tem “salvado” os canais abertos.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio