Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Relembre

Briga com diretor, audiência capenga e outras curiosidades sobre A Favorita

Novela de João Emanuel Carneiro ganha reprise no Vale a Pena Ver de Novo

Publicado em 14/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A Favorita chega ao Vale a Pena Ver de Novo para a alegria de muitos telespectadores. Original de 2008, a trama de João Emanuel Carneiro ganha a sua primeira reprise.

A novela sempre foi muito pedida, mas era encarada como “pesada demais” para o horário. Agora, resta saber se a Globo passará a tesoura na reapresentação.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A produção foi a primeira do autor no horário nobre. Ele foi alçado ao posto após o sucesso de Da Cor do Pecado e Cobras e Lagartos, ambas às 19h.

O nome fazia um jogo com o público. Afinal, a história inovou ao esconder quem era a verdadeira vilã. Mas o primeiro título pensado foi Juízo Final.

Demorou para engrenar

Embora A Favorita tenha sido lançada como “a novela inovadora”, demorou para engrenar. A audiência do primeiro capítulo foi a pior das novelas das 21h da época: apenas 35 pontos.

O motivo era a apresentação do último capítulo de Caminhos do Coração, fenômeno da Record TV. Além disso, a novela conviveu com a péssima audiência das tramas das 18h e 19h – Negócio da China e Três Irmãs, respectivamente.

Aclamada pelos saudosistas, A Favorita cansou até revelar que Flora (Patrícia Pillar) era a verdadeira assassina. O autor antecipou a grande cena e a partir daí a audiência subiu. O capítulo em questão marcou 46 pontos.

Além de uma trama central problemática e conceitual demais, a novela sofreu com a marca de João Emanuel Carneiro: núcleos paralelos desinteressantes e chatos.

Mesmo com altos e baixos, a obra terminou com média de 40 pontos na Grande São Paulo, alcançando a meta do horário na época.

Patrícia Pillar e Mariana Ximenes em A Favorita

Trocas e escalação de elenco

Murilo Benício ganharia mais um personagem cômico, mas bateu o pé e trocou de papel. Recém saído de Pé na Jaca, o ator ficou com o vilão Dodi.

Inicialmente, o antagonista foi oferecido para Fábio Assunção, mas ele recusou. Já Patrícia Pillar e Claudia Raia logo aceitaram o convite para interpretarem as protagonistas.

Claudia foi especialmente convidada pelo autor, que se encantou com ela desde a minissérie Engraçadinha.

Para Lara, Priscila Fantin era um nome forte. Mas a atriz alegou cansaço após viver a protagonista da cansativa e interminável Sete Pecados.

Claudia Raia e Patrícia Pillar em cena de A Favorita

Iran Malfitano conquistou o público com Orlandinho. Ele faria apenas uma participação, mas agradou e ficou a novela toda. Entretanto, o autor estragou o personagem ao promovê-lo à “cura gay”.

Atendendo a um pedido de Gloria Perez, Juliana Paes deixou a trama. Sua personagem, Maíra, foi morta por Flora no hospital após sofrer um acidente. A atriz foi a protagonista de Caminho das Índias, sucessora de A Favorita.

Briga entre Claudia Raia e diretor

Claudia Raia revelou que teve uma briga feia com o diretor Ricardo Waddington. Em sua biografia, a atriz contou que o conflito foi pesado.

Ricardo queria mudar o tom da personagem Donatela por volta do capítulo 60. Mas Claudia não gostou da sugestão e apelou. “Então, é melhor você chamar outra atriz porque não foi isso que você combinou comigo. Você me pediu para fazer uma mulher rude”, disse.

Em meio a uma crise de choro, eles discutiram e trocaram ofensas. Claudia chegou até a esconder um óculos do diretor. Depois disso, porém, eles fizeram as pazes.

“Ele me pediu desculpa diante de todos, devolvi os óculos, a temperatura baixou, criamos uma ponte e acabou tudo em amor”, destacou a artista.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....
Pular para a barra de ferramentas Sair