Descubra qual será o destino de Juan em Salve-se Quem Puder

Segunda temporada da trama de Daniel Ortiz tem estreia prevista para o próximo dia 17 de maio

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na próxima segunda-feira, 17 de maio, a Globo exibe a fase final de Salve-se Quem Puder, folhetim criado por Daniel Ortiz. Além dos desfechos de Alexia (Deborah Secco), Luna (Juliana Paiva) e Kyra (Vitória Strada), o público descobrirá o destino de Juan, personagem de José Condessa que abandonou a trama brasileira durante a pandemia

Para colocar um ponto final na história de Juan, Daniel Ortiz apenas mencionará o nome do rapaz no capítulo de estreia da segunda temporada de Salve-se Quem Puder. “Foi muito triste, Gabi. A gente aterrissou. O Juan tava todo animado que tinha chegado no Brasil. Aí ligou o celular e viu a notícia do pai. É, o bichinho ficou arrasado. Na mesma hora comprei outra passagem pra ele. O Juan desceu de um avião e subiu em outro. Mas vamos torcer pra que o pai dele se recupere logo”, dirá o personagem de Murilo Rosa em conversa com Gabi (Nina Frosi), justificando a saída de José Condessa da trama.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em conversa com a coluna, Daniel Ortiz revelou que foi trabalhoso reescrever os capítulos finais de Salve-se Quem Puder, já que foi obrigado a finalizar algumas histórias e criar outras. Entre os novos tipos criados pelo autor estão: Alejandro (Rodrigo Simas), Marlene (Marianna Armellini), Nanico (Babu Santana), Júlia (Sophia Abrahão) e Aurora (Gabriela Moreyra) que farão parte da segunda temporada de SQP.

“Era um domingo, quando o Silvio de Abreu, que estava à frente da dramaturgia da Globo naquela época, me ligou e avisou que as gravações da novela seriam interrompidas, e que eu teria que criar um desfecho para aquela primeira fase. Foi muito intenso. A partir daí, comecei a escrever a novela dentro de uma nova realidade. Muitas vezes a comédia não é tão valorizada e a gente viu a importância dela durante a pandemia. Fazer comédia, para mim, é mais difícil do que fazer drama, porque envolve tanta coisa… timing, texto, direção… E fazer tudo isso durante a pandemia foi uma responsabilidade muito grande que todos nós tivemos”, pontua o autor da trama das sete.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio