Nem Marjorie, nem Dalton: Protagonistas de Duas Caras foram escritos inicialmente para outros atores

A trama de Aguinaldo Silva estreou no Globoplay

Publicado em 31/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Duas Caras chegou ao Globoplay. A novela de Aguinaldo Silva, exibida entre 2007 e 2008, contou com uma dupla de protagonistas que conquistou o público. Eles foram vividos por Marjorie Estiano e Dalton Vigh.

A atriz interpretou Maria Paula, uma mocinha de atitude que leva um golpe de Adalberto, personagem de Dalton, que mais tarde passou a se chamar Marconi Ferraço.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O crápula rouba toda a fortuna da jovem e some, a ponto de mudar seu rosto. Mas mesmo assim ele acaba sendo encontrada pela moça, que promete vingança e revela que teve um filho com o vilão.

Ao longo da trama, Maria Paula e Ferraço viveram um grande embate, mas o amor falou mais alto e eles terminaram a trama juntos. Os intérpretes mostraram química e agradaram os telespectadores, que torceram pelo casal.

O que pouca gente sabe é que os protagonistas foram escritos inicialmente para outros atores. Para o papel de Maria Paula, o autor pensou em Carolina Dieckmann, que foi Isabel em Senhora do Destino. Mas ela recusou devido à gravidez. A segunda cotada foi Mariana Ximenes. Entretanto, a atriz preferiu compor o elenco de A Favorita, como Lara.

Sendo assim, Marjorie foi escalada para o posto. Além do sucesso em Malhação, a atriz chamou atenção de Aguinaldo Silva devido ao papel de Marina, em Páginas da Vida.

Já Ferraço foi pensado para Eduardo Moscovis, um dos vilões de Senhora do Destino. O veterano, porém, preferiu dar um tempo nas novelas. Para compensar, ele voltou em outra novela de Aguinaldo, O Sétimo Guardião, mais de dez anos depois. Com isso, Dalton Vigh ficou com o papel devido ao sucesso como Clóvis, o intragável antagonista de O Profeta.

Para completar, Juvenal Antena, rival de Ferraço, seria vivido por José Mayer. Mas o ator quis se dedicar ao teatro na época. Por isso, Antonio Fagundes esteve na pele do rei da Portelinha, muito bem por sinal.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio