Autora de A Vida da Gente fala sobre ser comparada com Manoel Carlos

A escritora disse ficar honrada com a comparação

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lícia Manzo, autora de A Vida de Gente, novela das 18h que volta ao ar nesta segunda-feira (1), falou em entrevista à Ana Luísa Nunes, do Gshow, sobre as comparações que são feitas sobre o seu estilo folhetinesco com o de Manoel Carlos.

“Eu fico, lógico, honrada e lisonjeada. Acho que a comparação não é pertinente na medida em que ele é um decano, sênior, fez muita coisa, e eu ainda me sinto começando, indo pro meio do que seria meu aprendizado como novelista”, declarou a escritora.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Eu fui uma criança noveleira. Vi muito Dancing Days, fiquei muito impactada com A Escrava Isaura. Mas diversas novelas, sim, do Manoel Carlos, do Gilberto Braga. São autores que espraiam mais seu sumo nas tramas, das relações familiares e humanas”, analisou.

“Às vezes, numa novela do Manoel Carlos ou do Gilberto, não tem uma perseguição, um tesouro escondido, uma correia, mas tem tanta riqueza, tanta virada no diálogo de uma mãe com uma filha. Tem tesouro escondido ali. O quanto os ‘laços de família’ são fundadores pra nós e, ao mesmo tempo, o quanto eles nos apertam, incomodam e restringem”, concluiu Manzo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio