Mariana Santos comenta triângulo amoroso vivido em Malhação: “Nem a Carla sabe o que quer”

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No ar como a Carla de Malhação – Toda a Forma de Amar, Mariana Santos falou ao Observatório da Televisão sobre as nuances da personagem e o envolvimento com Marco Rodrigo (Julio Machado) e Marudeira (Henri Castelli).

Triângulo amoroso

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Acho que nem a Carla sabe [o que quer]. Está igual uma adolescente, muito confusa. Ela não está sabendo lidar com esse sentimento dela, não sabe o que é ainda. Uma coisa estranha, porque já tem o namoro com o Madureira há um tempo. Acho que quando ela está com os dois fica até um pouco infantil. Agride o major, grita, chora, acho que não entendeu ainda o que sente”.

Neide

Ela adora a Neide (Quitéria Kelly), ela cuida da Neide. Ela está com ciúmes, mas ainda não entendeu. A Neide veio para movimentar. Eu vejo a Carla no ar e penso ‘nossa, como a pessoa fica imatura, sem saber como lidar’”.

Vida real

Já [me apaixonei por duas pessoas ao mesmo tempo]. Namorar um cara e se apaixonar por outro e ficar nessa dúvida cruel. Eu perguntava para minha mãe, ela falava que não era possível e eu dizia que sim. Já aconteceu isso comigo”.

Major ou Madureira?

“[O público] Tá muito dividido. No começo era muito major, agora vai para o Madureira. Ela tem papos muito maduros com os dois”.

Mãe na TV

É muito bom fazer mãe. Tô amando fazer. Eu não tenho filhos, então toda a minha maternidade eu transfiro aqui. Eu fico preocupada com a Dora [de Assis], Danilo [Maia]. Eu acho eles ótimos, é muito bom de trabalhar. Quando contraceno com eles, eu realmente sinto um amor e me identifico com eles como pessoa”.

Raíssa e Tiago

A relação dela com a Raíssa é de proteção, de um futuro que idealizou com ela. Com o Tiago, eles trabalham juntos, então fica uma relação mais atribulada. Ele não quis estudar muito e ficou ali trabalhando com a mãe, então criou uma intimidade”.

Ser mãe na vida real

Eu tô resolvida com isso, eu quero adotar. Maternidade está muito dentro de mim, mas não para gerar. Vou fazer 43 anos agora, não dá, vai ser arriscado engravidar, não acho que meus hormônios estão bons, então não é uma coisa que vai me fazer sofrer. Nunca me coloquei esse peso, já coloquei a maternidade de outras formas na minha vida. Se tiver que ser, vou adotar”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio