Violência

Ju Massaoka é mais uma repórter vítima de assalto ao vivo em 2023; relembre casos

Profissionais da TV sofreram tentativas de furto durante o trabalho

Publicado em 08/12/2023

A violência nas ruas é sentida pelos repórteres de TV em 2023. A vítima mais recente é Ju Massaoka, jornalista dos programas matinais da Globo. Nesta sexta-feira (8), ela entrou ao vivo no Encontro para informar sobre os 132 anos da Avenida Paulista, a mais famosa de São Paulo, quando sofreu uma tentativa de assalto e quase perdeu o celular para um falso entregador montado em uma bicicleta.

O quase furto foi transmitido para todo o Brasil e aumenta o número de crimes praticados contra profissionais de TV neste ano, sobretudo em São Paulo, durante o expediente.

Em janeiro, o repórter Marcos Guimarães, da Record, quase teve seu celular tomado por um ladrão no centro da capital paulista, momentos antes de participar do Balanço Geral Manhã.

Na mesma região, uma equipe do Brasil Urgente, da Band, foi agredida por criminosos, em junho. O jornalista Mark Figueredo quase teve seu celular furtado, mas um auxiliar técnico da equipe reagiu à tentativa de assalto (atitude reprovada pela polícia) e atirou o tripé da câmera em direção ao bandido.

Beatriz Backes, produtora da Globo, foi promovida a videorrepórter nos telejornais locais para noticiar os problemas do transporte público em São Paulo. Sozinha com o celular e o microfone da emissora, fica vulnerável a ações criminosas.

Em outubro, também no centro, perdeu o celular para um assaltante durante transmissão ao vivo para o Bom Dia SP. O programa não repercutiu o furto, posteriormente confirmado pela emissora à imprensa.

Beatriz Backes videorrepórter da Globo

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade