Justiça nega pedido de indenização para compositor que tenta provar ser criador do “plim-plim”

Ação foi apresentada em 2013

Publicado em 5/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Desembargadores da 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negaram o pedido de indenização do compositor Luiz Paulo Bello Simas feito à Globo. As informações foram divulgadas pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de São Paulo

Em 2013, Bello Simas entrou com uma ação por danos morais contra a emissora, alegando que não recebeu reconhecimento e remuneração adequado autoral do efeito sonoro “plim-plim”, clássicos das vinhetas do canal.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Os magistrados do TJ do Rio mantiveram a sentença que já havia negado ao compositor a indenização. Eles entenderam que o artista não conseguiu provar autoria intelectual do “plim-plim”.

E por falar nisso, em 2016, a emissora perdeu um recurso para tentar registrar a marca na Europa. O Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia informou que o som não tem “qualquer caráter distintivo” e que se trata de algo “banal e trivial”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio