Série do Como Será? prova que nem o mais tradicional dos pratos escapa da evolução tecnológica

Publicado em 06/07/2017

Quem disse que um dos pratos mais tradicionais do mundo, a massa, não pode se modernizar? A série ‘Comida do Futuro’, produzida pela BBC, prova que a tecnologia é capaz de revolucionar até as receitas mais clássicas. Na Holanda já existem impressoras 3D que imprimem a massa com desenho e tamanho ao gosto do freguês. Para funcionar, no lugar da tinta, os cartuchos têm uma mistura de água e semolina. O episódio também apresenta a máquina automática de pizza, localizada em Londres: ela prepara, assa e entrega o pedido em três minutos no Como Será?.

A audiência e visibilidade de muitos influenciadores digitais vêm chamando a atenção da publicidade e organizando um mercado ao redor desta nova profissão. A repórter Marianne Salerno conversa com o casal de cadeirantes e youtubers Felipe e Fernanda, que divide sua rotina pelas redes sociais. A pedido dos amigos, eles criaram o canal onde falam, com bom humor, das facilidades e dificuldades de mobilidade. Atualmente, tem cerca de 10 mil inscritos. Marianne também visita uma escola que ministra workshops para capacitar quem deseja começar a produzir conteúdos em vídeo para as mídias sociais.

No ‘Hoje é dia de… matemática’, o apresentador Alexandre Henderson mostra como números e fórmulas estão presentes no nosso dia a dia e, muitas vezes, nós nem percebemos. Ele acompanha uma aula onde a matemática é ensinada de forma lúdica para as crianças e, em outra reportagem, o treinamento de jovens que já se descobriram apaixonados pela matéria e tentam uma vaga na Olimpíada Internacional de Matemática. O repórter também mostra como um programa usa cálculos matemáticos para ajudar a revelar novos craques do futebol.

Sandra também conversa com a professora de Educação Física Maria Alice Zimmermann sobre a importância da prática de atividades físicas pelas crianças. Como os pais podem incentivar os filhos a se movimentar? Quais os melhores esportes para cada faixa etária? Existe algum risco para as crianças muito pequenas? A especialista responde a essas dúvidas e outras enviadas pelo público.