Rede Família amplia programação regional para produtores de TV

Publicado há 2 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Rede Família inicia 2019 ampliando sua programação regional com abertura para produtoras de TV. A proposta é defendida por Francisco Costa, novo diretor executivo a emissora. O canal atua no mercado entretenimento, informação e cultura há mais de 20 anos.

Veja também: Viviane Araújo relembra fim de romance com Belo: “Isso serviu para me fortalecer”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Costa acredita que o ano será para a expansão da programação voltada ao público regional do país.  Com muitos anos no Grupo, o gestor passou sete anos na Record News atuando em rede e expansão de novas afiliadas.

“O fato de gozarmos de uma liberdade e autonomia que ser cabeça de rede nos permite e da consequente flexibilidade na programação, que não existe nas outras emissoras ditas ‘regionais’, favorece o estabelecimento de parcerias de Conteúdo e de Comunicação, afirma o diretor executivo.

“Além é claro de favorecer a adequação de conteúdo próprio para agências e anunciantes”, conclui ele.

Durante sua gestão, Costa defendera duas tarefas: estreitar vínculos e abrir espaços para novas parcerias com produtoras independentes; apresentar ao mercado publicitário o potencial de negócios existente no interior do Brasil, através de uma grade de programação e conteúdo regional.

Francisco Costa está substituindo Eduardo Lopes na direção executiva da Rede Família. O ex-diretor comandou a implementação da transmissão em HD em Campinas.

No momento, Eduardo Lopes está atendendo a convocação para levar sua experiência para outras empresas do Grupo.  Com as migrações para o sinal digital e o formato HD quase finalizados, o novo diretor sente confiança e segurança para o novo momento da Rede Família.

“Os recursos para manter o sinal analógico em paralelo com a implantação do digital eram vultosos. E nos permitirá agora reorganizar esse orçamento para investimentos na programação, novos cenários e tecnologias”, afirma Francisco Costa.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais