“Não existe papel de negro ou papel de branco, existem papéis”, afirma Deborah Secco

Publicado há 3 anos
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Longe das novelas desde que viveu a Tânia de Malhação – Pro Dia Nascer Feliz (2016), Deborah Secco afirmou que a arte não pode ser radical e que tenta debater com seus papéis questões que criticam a sociedade e a política.

“A nossa obrigação é trazer a igualdade das minorias, falar de amor e sexo de forma leve e não forçando esse assunto. Temos de ter também a igualdade racial. Não existe papel de negro ou papel de branco, existem papéis”, declarou a estrela ao G1.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deborah Secco relembra vilã Íris, de Laços de Família: “Era profissional na hora de rogar praga”

A atriz entregou ainda os tipos de personagens que sonha interpretar. “Eu tenho vontade de fazer tudo o que eu ainda não fiz. Tenho vontade de fazer uma grande vilã ou algo tipo Matrix, escalar paredes, ser forte, essas coisas”, contou Secco.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais