Morre aos 71 anos o jornalista Nelson Hoineff, criador do Documento Especial

Publicado há 10 meses
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Faleceu nesta manhã de domingo (15), no Rio de Janeiro, aos 71 anos, o jornalista e crítico de cinema Nelson Hoineff. A confirmação de seu falecimento ocorreu por meio de sua conta oficial no Facebook, a saber. A causa não foi divulgada pela sua família. Hoineff é grande conhecido do público por ter criado e dirigido a partir de 1989 o clássico jornalístico Documento Especial, da extinta Rede Manchete.

“É com grande pesar que eu Edileusa venho comunicar há todos amigos e familiares que nosso amigo Nelson Hoineff acaba de falecer” (sic), afirma a curta nota de falecimento. O enterro de Hoineff será nesta segunda-feira (16), às 12h, no cemitério Israelita do Caju, localizado na Zona Norte do Rio de Janeiro.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nelson Hoineff nasceu em 1948 e foi um dos nossos mais atuantes jornalistas e críticos de TV. Na televisão brasileira, dirigiu o departamento de programas jornalísticos da Manchete. Só para ilustrar, o jornalista também passou por SBT, Band, GNT, TV Cultura e TVE do Rio de Janeiro.

“Documento Especial: Televisão Verdade”

Seu maior destaque na TV foi o programa Documento Especial, exibido na Manchete, SBT e Band de 1989 a 1997. Dono de um estilo único, o Documento Especial tratava de temas da atualidade com abordagens únicas e imagens cruas. De maneira que o tom geral da atração, apresentada inicialmente por Roberto Maya e depois também por Henrique Martins, justificava seu subtítulo: “Televisão Verdade”. Com efeito, sua aceitação foi rápida e o programa chegou a ser líder de audiência em seu auge, em 1990.

Entre os programas considerados grandes clássicos do Documento Especial, com toda a certeza, estão reportagens como Os Pobres Vão à Praia. Produzida em 1989, ela é um grande sucesso de visitas no YouTube até os dias de hoje. Também merece menção Vidas Secas. Esse documentário sobre a fome no Nordeste rendeu ao programa o Prêmio Príncipe Rainier no Monte-Carlo TV Festival, a premiação máxima de reportagem no mundo, a saber.

Nelson Hoineff foi crítico de cinema e dirigiu documentários

Além de seu trabalho na televisão, Hoineff foi crítico de cinema e dirigiu documentários. Só para exemplificar, um deles foi Alô, Alô, Terezinha, de 2008, que falava da vida e do sucesso de Abelardo Barbosa, o Chacrinha. Caro Francis (2009), sobre o jornalista Paulo Francis, e Cauby – Começaria Tudo Outra Vez (2015), focado no cantor Cauby Peixoto, foram outros de seus filmes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais