Mestre do Sabor: chefs e participantes relembram momentos marcantes da temporada

A competição gastronômica é comandada por Claude Troisgros

Publicado em 23/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mais uma temporada do Mestre do Sabor chega ao fim nesta quinta (22). A grande final do reality gastronômico da Globo é disputada por quatro participantes: Cadu Moura, Danilo Takigawa, Pedro Barbosa e Rodrigo Guimarães.

Segundo Claude Troisgros, o grande comandante da atração, a força da comida brasileira foi um dos grandes destaques. Em seu depoimento, ele revela o momento mais emocionante da edição.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Tiveram vários momentos marcantes para mim. Mas me emociona sempre muito quando podemos mostrar o trabalho de algumas personalidades, como João Diamante. É uma inspiração todo o trabalho social que ele faz e a cozinha dele. Teve também o Jediner Delpupo, do Espírito Santo, com os ovos. Essas participações reforçam a força da gastronomia brasileira“, revelou.

Já para o assistente Batista, o Mestre do Sabor 2021 o fez voltar para o passado. “Nada como experimentar algum prato que nos remeta a uma memória afetiva, lembrança da família, de algum lugar especial. Estava muito bem feito e mostrou que três ingredientes simples da nossa mesa do dia a dia podem fazer bonito”, assumiu.

Os chefs Leo Paixão e Rafa Costa e Silva, cada um com dois competidores na final, também refletem quais são as lembranças mais impactantes da temporada que já guardam na memória.

“Como um todo, foi o tanto que o nível estava alto dos participantes. A gente discutia bastante na hora de avaliar os pratos. Fiquei muito feliz com a forma que eles cozinharam, com o que eles apresentaram para a gente. Realmente, o que me marcou foi o nosso bate boca ali nos bastidores, na sala dos mestres, na hora que a gente está discutindo para chegar em um consenso. Foram muitas decisões divididas mesmo, o negócio foi no páreo duro. Acho que foi o Mestre do Sabor com mais decisões divididas de todos os tempos”, ressalta o mestre Leo.

Já para Rafa, vários momentos e etapas foram muito importantes: “Todos me marcaram de uma forma diferente. Mas acho que o que mais me marcou realmente foram a amizade que fiz com eles, o envolvimento deles com toda a competição, o improviso de coisas que são muito difíceis de fazer em poucos minutos e o esforço deles quanto às provas“, destacou.

Finalistas revelam seus melhores momentos

Na corrida para conquistar o prêmio de R$250 mil, o pernambucano Cadu Moura, que vive há quase 10 anos na Bahia, destaca as provas que ele venceu e suas conquistas. “Foram muitos os momentos que me marcaram. Minha trajetória vem de muitas conquistas, de muita batalha, de coisas que passei na vida, e sozinho fui lutando contra. E no Mestre do Sabor pude ver que eu era capaz”, diz Cadu, do time Leo Paixão.  

Pedro Barbosa, também representante da equipe de Leo, é de São Paulo, e não acreditou quando Claude Troisgros elogiou um de seus pratos. “Ele escolheu a sobremesa que fiz com ovo como um dos melhores menus da vida dele. Foi um momento especial para mim! Ele, Batista, Kátia, Leo e Rafa são únicos para a nossa gastronomia e tê-los como mestres foi incrível. Sou muito grato por essa experiência na minha vida”, descreveu.  

Chef de Curitiba, Danilo Takigawa é um dos finalistas de Mestre do Sabor e fez bonito no time de Rafa Costa e Silva. “Um dos momentos que mais me marcou foi realmente o prato de entrada. Para mim, simboliza o começo de uma nova adaptação, era como se fosse um bloqueio que eu tinha de não querer me expor, de expor o meu trabalho. E está sendo ótimo derrubar um pouco essa barreira, ter entrado no programa significa muito para mim”, explica Danilo.  

O carioca Rodrigo Guimarães também é um dos destaques da equipe do mestre Rafa e completa o quarteto finalista de chefs. Entre as provas da competição que mais mexeu com ele, a com comida de boteco: “Tinha o lado emotivo, por eu ser do Rio de Janeiro e ter frequentado bastante botecos com meus amigos. A prova em si tinha três preparações diferentes naquele curto espaço de tempo, foi uma loucura. Foi muito legal”, comenta.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio