Lina Mello, a Zilpa em Gênesis, fala sobre desfecho polêmico: “Por amor a Lia, gera dois filhos de Jacó”

Novata na TV, atriz diz que o roteiro é rígido

Publicado em 9/7/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Lina Mello estreia na televisão na sexta fase de Gênesis, da Record TV. Interpretando Zilpa, a serva de Lia, papel de Michelle Batista, e que futuramente será concubina de Jacó, papel de Miguel Coelho, a atriz comemora o papel que vai ganhando destaque à medida em que o tempo passa na novela bíblica.

“Por ser o primeiro trabalho em novela o aprendizado foi gigantesco e estou muito feliz com os presentes que a Zilpa tem me dado durante todo o processo”, assume a atriz em entrevista ao portal Purepeople. Ela ainda revela que, por ter linguagem antiga, o texto do folhetim lhe causou estranhamento em um primeiro momento. “Fiquei apreensiva por medo de ficar engessada já que esse tipo de roteiro é rígido do que um roteiro contemporâneo, mas tive a sorte de estar com uma equipe, direção e elenco incríveis”, elogia a estreante.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para se sentir mais segura para o papel que já foi de Thaís Müller e Andrea Avancini, Lina conta que conversou com as duas. “Assisti sim um pouco das séries, mas a Zilpa proposta pela novela é bem diferente. Acho a Thaís uma atriz incrível e ainda tenho a honra de ser a filha de Yarin na novela que é interpretada pela própria Andrea. Conversei com as duas nos bastidores para pegar referências e criar a minha própria Zilpa”, declara ela, agradecida.

Zilpa é oferecida a Jacó

O ponto alto da trajetória de Zilpa na trama bíblica é após o casamento de Jacó com Lia e, posteriormente, com Raquel (Thaís Melchior), as duas mulheres consideradas oficiais do filho de Isaque (Guilherme Dellorto). Em determinado momento, Bila, interpretada por Allana Lopes, e Zilpa, ambas servas das duas irmãs, serão oferecidas a Jacó.

Isso porque Raquel será estéril, não podendo dar os desejados filhos ao marido, e Lia, que terá ao todo cinco filhos com Jacó, vai parar de gerar vidas. Como forma de continuar a prole de Jacó, as duas irmãs oferecem as suas criadas como concubinas ao rapaz e elas se tornam esposas dele também. No total, o irmão de Esaú (Breno Morais) terá 13 filhos com suas quatro mulheres.

Lina Mello comenta que esse desfecho, apesar de polêmico para a época atual, remete a uma certa sororidade. “Por amor a Lia, a Zilpa se torna concubina de Jacó e gera dois filhos a ela. São épocas e costumes muito diferentes de hoje em dia, não julgo, acho bonita a relação entre as mulheres e como se ajudam. Porém não consigo me imaginar tendo filhos que não serão considerados meus”, pondera.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio