Soprando velinhas

Globo Repórter celebra 50 anos e mostra o seu impacto e relevância em cinco edições comemorativas

Ernesto Paglia, Pedro Bassan, Beatriz Castro, Lilia Teles e Jorge Pontual assinam as reportagens especiais

Publicado em 29/03/2023

Toda semana, um programa novo e várias descobertas. Há cinco décadas, o Globo Repórter traz semanalmente ao público da TV Globo um misto de informação e entretenimento, uma rotina já incorporada aos hábitos de milhões de brasileiros.

Para celebrar seus 50 anos de história, a partir do dia 31 de março o público poderá acompanhar uma série de cinco programas especiais que refletem a relevância, o pioneirismo e a credibilidade do jornalístico na TV brasileira em temas como tecnologia, sociedade, saúde, meio ambiente e viagens, nos quais o Globo Repórter é especialista.

Nesses cinco programas especiais, vamos mostrar como os brasileiros se informaram, assistindo ao Globo Repórter, com novidades, do Brasil e do mundo, e como esse conhecimento teve impacto na vida deles. Cada um deles será fechado por um jornalista que teve participação expressiva no programa ao longo dos últimos anos. São temas relevantes e que mexem com a vida do telespectador”, explica a diretora Mônica Barbosa.

Ela está se referindo a Ernesto Paglia, Pedro Bassan, Beatriz Castro, Lilia Teles e Jorge Pontual, que assinam as reportagens especiais que serão exibidas entre os dias 31 de março e 28 de abril.

Além de contar com a reportagem de jornalistas consagrados, os apresentadores do Globo Repórter também fizeram história. Ocupando este espaço desde 2019, Sandra Annenberg fala sobre a sua relação com o programa.

Minha relação com o Globo Repórter começa desde que eu me conheço por gente. Eu tinha quatro anos quando ele estreou, cresci com ele. Me lembro de ouvir a música da vinheta e saber que era hora de ir pra cama. Com o passar do tempo, podia ficar acordada para vê-lo”, recorda ela.

“Quando fui para o jornalismo da Globo, há 32 anos, trabalhar no programa era o sonho de todo repórter. Como telespectadora, fui transportada para os lugares mais fascinantes e sei que muita gente conheceu os quatro cantos do mundo através do Globo Repórter. Poder oferecer essa experiência para as pessoas é gratificante e estar a bordo dessa equipe é um privilégio“, celebra Sandra.

Abrindo as comemorações, no dia 31 de março, Ernesto Paglia assina a reportagem especial sobre tecnologia. Apaixonado e profundo conhecedor do assunto, o jornalista, em 1983, integrou a equipe que renovou a linguagem do Globo Repórter.

Trabalhou exclusivamente para o programa como repórter durante os três anos seguintes. Desta vez, refaz a cena da primeira ligação de celular da história, realizada no dia 3 de abril de 1973, mesmo dia da estreia do programa. Cinquenta anos depois, Paglia pede uma descrição do jornalístico ao recém-lançado chatGPT.

No dia 7 de abril, Pedro Bassan assina a reportagem especial que se debruça sobre as mudanças na sociedade nas últimas cinco décadas. Quando o primeiro programa foi ao ar, em 1973, a mulher brasileira ainda não tinha os direitos jurídicos iguais ao homem, nem mesmo o divórcio existia.

De lá para cá, foram muitas transformações nas relações humanas. O episódio vai tratar do comportamento dos brasileiros e mostrar o que mudou nas cidades, no trabalho e no casamento. E o que ainda se mantém na vida do país, em casos de racismo, machismo e preconceito. O programa reencontrou pessoas que abriram suas vidas para o Globo Repórter para contar o que aconteceu com elas nos últimos anos.

No dia 14 de abril, será a vez de Lilia Teles mostrar as descobertas científicas que transformaram a vida dos brasileiros e resgatar histórias de gente que se superou e hoje vive melhor depois de adotar um estilo de vida saudável.

Encontramos, por exemplo, pessoas que escolheram a profissão que exercem hoje por causa de um Globo Repórter a que assistiram na juventude. Outros mudaram de comportamento, passaram a praticar atividade física ou a se alimentar melhor depois de tomarem conhecimento de pesquisas científicas divulgadas pelo programa ao longo desses 50 anos. Acho que isso explica, de certa forma, o lugar dele na história da TV”, acrescenta a diretora Mônica Barbosa.

No programa do dia 21 de abril, a jornalista Beatriz Castro se debruça sobre o meio ambiente, e retoma jornadas pelas florestas brasileiras, a parceria de especialistas que descobriram lugares intocados e espécies exóticas. Desta vez, ela irá ao Parque do Xingu para revisitar os indígenas que apresentam a emocionante cerimônia do quarup.

Quantos lugares e quantas culturas o brasileiro descobriu com o Globo Repórter? No encerramento da série de programas especiais, no dia 28 de abril, o correspondente Jorge Pontual em Nova York, capital do mundo, assina a reportagem sobre viagens.

Editor-chefe do Jornal da Globo e do Globo Repórter entre 1983 e 1996, o jornalista convida o público a rever culturas que o programa apresentou aos brasileiros e também relembra as viagens que marcaram a história da TV brasileira, algumas icônicas feitas por Gloria Maria.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade