Fantástico “mata” personagem de Lima Duarte em novela de 1990

Produção entrou para o catálogo do Globoplay em 28 de setembro

Publicado há 18 dias
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como tem ocorrido com todas as produções do projeto de resgate de novelas clássicas pela plataforma de streaming Globoplay, neste domingo (5) o Fantástico exibiu uma matéria sobre Meu Bem, Meu Mal, de Cassiano Gabus Mendes, que entrou para o catálogo no dia 28 de setembro.

Exibida originalmente entre outubro de 1990 e maio de 1991 em 173 capítulos, a história apresentou Lima Duarte no papel de Dom Lázaro Venturini, um homem amargurado pela suposta traição cometida por sua falecida esposa, Maria Helena, que gerou um filho, Ricardo Miranda (José Mayer).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apesar de detestar Ricardo e desejar destruí-lo, por tudo que ele representa em sua vida, Dom Lázaro não pode ser considerado o vilão de Meu Bem, Meu Mal, função essa que cabe a sua nora Isadora (Sílvia Pfeifer).

Ademais, o patriarca dos Venturini não morre no decorrer da novela como dito na reportagem do dominical, mas sim fica com os movimentos e a fala prejudicados após um sério acidente vascular cerebral.

A matéria disse que “Dom Lázaro acabou indo dessa para uma melhor” e que surge um mistério em torno de sua morte, o que não acontece de fato na novela.

Quando Dom Lázaro está se recuperando na história, uma cena que se tornou clássica acontece: a enfermeira Elza (Zilda Cardoso) pergunta ao milionário se ele quer comer mamão ou melão, e acreditando que ele nada pode compreender, menos ainda responder, opta pelo mamão. Ele responde “Eu quero melão”, e a enfermeira empalidece, surpresa.

Procurada para falar a respeito, a Comunicação da Globo declarou que “Houve um equívoco na matéria exibida. Uma nota de esclarecimento foi publicada no site do Fantástico“.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais