“Ele é megalomaníaco, tem um ego maior do que deveria”, diz Roberto Justus sobre Donald Trump

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Roberto Justus participou neste sábado (02) do quadro Pra Quem Você Tira o Chapéu no Programa Raul Gil, e falou entre outros assuntos sobre seus casamentos, sua boa relação com a Rede Record, e comentou ainda o seu descontentamento com Donald Trump como presidente dos Estados Unidos. O apresentador disse conheceu o atual presidente pessoalmente em 2004 quando começou a comandar o reality show O Aprendiz, versão nacional do The Apprentice, apresentado por Trump na América do Norte.

“Eu conheci o Trump pessoalmente. Quando fui apresentar O Aprendiz, fui até os Estados Unidos para conhecê-lo e conversar com ele, e o acho um pouco Over, em tudo o que ele faz. Ele é megalomaníaco, tem um ego que é maior do que deveria ter, tem seus méritos como empresário, conquistou seus bilhões, mas dinheiro não é tudo na vida. Admiro ele como empresário, mas o preparo que ele tem para ser presidente da república é zero, principalmente da maior nação do mundo, da mais poderosa potência econômica do mundo. A maior potência militar do mundo está nas mãos de um cara destemperado”, opinou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

 Leia também: “Me salvou da treva”, afirma Ivete Sangalo sobre o nascimento do filho no Altas Horas

Justus continuou falando sobre o mau governo do empresário, que acaba refletindo em outros países: “Na minha visão, ele perdeu uma oportunidade de fazer um grande governo se tivesse agido diferente. Algumas atitudes dele são boas, mas de longe ele é despreparado, e precisamos dos Estados Unidos fortes porque é o maior parceiro comercial de todos os outros países do mundo. Agora, ele acaba com os acordos, é destemperado e não acho que ele está apto a exercer a função que ele exerce”.

Questionado por Raul Gil, se ele iria até o final do mandato, Justus falou que acredita que ele possa chegar até o final, mas não se reeleger, explicando ainda que o processo eleitoral em solo americano é diferente do Brasil: “Eu acho que ele chega até o fim, mas a chance dele se reeleger não acho que seja grande. Tirando os radicais, acho que ele é uma grande dúvida na cabeça dos americanos. Lá também, eles se cansaram dos políticos. O Donald Trump não ganhou a eleição, ele perdeu o voto popular em número, mas o sistema político americano é diferente do brasileiro.  Lá você se elege pelos colégios eleitorais, e ele ganhou nos estados mais importantes, por isso acabou se tornando presidente. Se fosse no sistema do Brasil, em que é eleito aquele que tem o maior número de votos, ele não estaria eleito. Acho que agora depois de tudo o que ele fez, e da forma como se comporta, ele tem boa chance de não se reeleger”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio