Dono de agência de modelos fez duras críticas quando Verdades Secretas foi ao ar em 2015

"A novela cria estereótipos que só prejudicam as agências e depõe contra profissionais sérios"

Publicado em 31/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dono de umas das agências de modelos mais conceituadas no mercado, Marcus Panthera não gostou nadinha do que foi abordado pelo autor Walcyr Carrasco, em Verdades Secretas, da Globo, quando a novela foi ao ar em 2015.

Dono da Mega Models, Marcus foi um dos primeiros e mais famosos modelos masculinos brasileiros nos anos 70 e 80 e depois abriu seu próprio negócio, onde trabalhou com nomes de peso da moda como Shirley Malmann, Carol Francischini, Fabiana Saba, a global Letícia Birkheuer, Isabela Fiorentino e Valentina Zeliaeva, entre outras.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ele fez duras críticas a novela Verdades Secretas, que tem como enredo o submundo das passarelas, mostra o lado obscuro da profissão de modelo e o suposto funcionamento das agências, que além de agenciar meninas para desfiles e sessões de fotos, também promovem o book rosa, uma espécie de agenciamento de garotas de programa de luxo.

Em entrevista ao jornalista Ricardo Feltrim, em 2015, Marcus, que também é irmão de Monique Evans, afirmou que Verdades Secretas é uma “ofensa a todos os profissionais sérios do mundo da moda”.

“A novela cria estereótipos que só prejudicam as agências e depõe contra profissionais sérios – tanto empresários como modelos”, disse.

Marcus criticou ainda o autor Walcyr Carrasco. “Nós lutamos para acabar com esse estereótipo idiota, que só existe no Brasil, aliás, de que modelo masculino é sempre gay, e que as modelos são sempre prostitutas. Aí vem esse velhaco (Carrasco) nos afrontar com esses absurdos.”

A central de comunicação da Globo (CGCom) respondeu às críticas do empresário e disse que “as novelas são obras de ficção sem compromisso com a realidade, como registramos ao final de cada capítulo. Ao recriar livremente situações que podem ocorrer na vida real, a dramaturgia busca apenas tecer o pano de fundo para suas histórias, nunca com a intenção de ofender qualquer categoria profissional”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio