Conversa com Bial recebe Tarcísio Meira e Glória Menezes

O casal de atores fala sobre os 70 anos da televisão brasileira

Publicado há um mês
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apesar de terem perdido seus contratos fixos com a Globo recentemente, os atores Tarcísio Meira e Glória Menezes não vão ficar muito tempo sem aparecer na programação da emissora. O casal será entrevistado nesta sexta-feira (25) no Conversa com Bial, compondo a série de entrevistas que Pedro Bial vem realizando em alusão aos 70 anos da TV brasileira.

Os convidados mergulham nos melhores momentos de uma carreira de mais de 60 anos na dramaturgia. Desde o protagonismo da primeira novela exibida na TV, em 1963, até o amor e o companheirismo que nasceram e cresceram nos bastidores, Tarcísio e Glória falam de uma época em que o público ainda não tinha nítida a separação entre atores e personagens, e destacam o que mudou de lá para cá.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O casal também fala com carinho sobre o amor que sempre recebeu do público amante da televisão, relembrando papéis marcantes e as parcerias ao longo do caminho.

Glória e Tarcísio falam sobre a presença constante na teledramaturgia nacional, começando pela primeira novela protagonizada por eles, a 2-5499 Ocupado, em 1963, ano em que se casaram. Juntos ou separados, Tarcísio e Glória atuaram em Sangue e Areia, Irmãos Coragem, Guerra dos Sexos, Torre de Babel, Senhora do Destino, Páginas da Vida e muitas outras novelas memoráveis.

“Quando nos falaram que faríamos novelas, nós não conhecíamos o que era. Conhecíamos somente as novelas de rádio, então pensamos: ‘Meu Deus, isso não vai dar certo’”, confessa Glória relembrando o começo de sua carreira e os primeiros passos da televisão, dominada pelo teatro ao vivo. “Os teatros ao vivo eram muito bons, eram muito bem feitos. Fizemos peças ótimas, muito bem adaptadas”, garante Tarcísio.

Entre risadas e algumas lágrimas de emoção, Tarcísio e Glória também recordam como a arte uniu as suas vidas, além dos palcos. Casados há 57 anos, o casal fala sobre o primeiro beijo, que aconteceu em cena, e os anos de casamento, um dos mais duradouros da televisão.

“Eu já tinha visto a Glória. Eu estava ensaiando, ela entrou e eu gostei. Um dia calhou de me convidarem para fazer uma peça junto com ela. E a peça terminava no alto de uma escada, e eu a beijava e a matava”, relembra Tarcísio.

Sobre a idealização de casal perfeito, o ator garante nunca ter se incomodado, mas deixa claro que o romance das novelas existe apenas na ficção: “As pessoas são muito carinhosas com a gente. Não somos o casal perfeito, somos apenas um casal”. Glória concorda e dá uma explicação que, de tão simples, parece realmente coisa de novela: “Aqui é assim, eu amo profundamente o Tarcísio e eu tenho certeza de que Tarcísio ama profundamente a Glória. Eu sei que é coisa rara, mas isso aconteceu com a gente, o amor”.

Ainda na entrevista, os atores têm a oportunidade de rever trechos de alguns de seus tantos trabalhos, que fugiram de suas memórias, mas não de suas emoções. Nesta visita ao passado, Pedro Bial também pergunta sobre a fama de galã de Tarcísio, que já interpretou mocinhos e vilões na televisão.

Até então, Tarcísio sempre afirmou que não se achava bonito, algo que Glória discorda, brincando: “É um absurdo isso”. Mas, após 60 anos de carreira, o ator confessa ter mudado de ideia: “Eu era bonito, sim. Agora eu me acho”. Sobre o melhor da esposa, ele não mede palavras: “Ela tem tudo de bonito. É uma pessoa iluminada. Eu me casei com uma mulher especial e eu sou muito feliz”.

No Conversa com Bial, Tarcísio Meira e Glória Menezes também relembram parcerias como as com Manoel Carlos, Silvio de Abreu e Janete Clair, e trazem histórias divertidas e emocionantes dos bastidores de seus trabalhos.

Com direção artística de Mônica Almeida, o Conversa com Bial vai a ao ar de segunda a sexta-feira, após o Jornal da Globo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais