Conheça Groa, o personagem gringo de Segundo Sol, nova novela das 21h

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Groa (André Dias) tem vinte e poucos anos na primeira fase de Segundo Sol, nova novela das 21h, da Globo, e quase 40, na segunda. Na trama, escrita por João Emanuel Carneiro, ele será um estrangeiro, nascido na Islândia, meio hippie, com um forte dado místico, músico, divertido, nomádico, desapegado a bens materiais.

Filho de uma islandesa com um brasileiro que ele nunca chegou a conhecer, que engravidou sua mãe num carnaval em Salvador. Groa veio para o Brasil na esperança de encontrar esse pai, que ele sabe apenas que é pai de santo na região de Boipeba. Depois de muito procurar, ele finalmente vai num terreiro em Valença, onde o Babalorixá confirma que teve um caso com uma gringa no carnaval de 1974 e o assume como filho.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Record escolhe Marcos Mion para apresentar próxima temporada de A Fazenda

Ao pisar num terreiro pela primeira vez e escutar a batida dos atabaques, Groa sente uma emoção e uma energia muito forte. Fica maravilhado com o simbolismo e a força dessa cultura de ritos e danças milenares. Além disso, se encanta com o Boipeba e passa a morar lá. Conhece Luzia (Giovanna Antonelli) e logo se torna seu grande amigo. Juntos, os dois fazem shows no barzinho da cidade.

O rapaz vai aos poucos conhecendo melhor e se abrindo para seu suposto pai. O babalorixá conta que tem uma filha morando em Salvador, Doralice, que diferente de Groa, não tem o mínimo interesse em seguir os seus passos no candomblé. Sem avisar ao pai de santo, o islandês procura sua suposta “meia-irmã”, que é casada com Ionan e mora no Santo Antônio.

Doralice esclarece que Groa não pode ser filho do pai dela, já que o babalorixá nunca pisou em Salvador. Desiludido e decepcionado, e sem se despedir do pai de santo, Groa resolve partir dali. Isso acontece na mesma época que a situação de Luzia se degringola. Juntos eles embarcam em um navio de carga rumo a Islândia. Na Islândia, ele ajuda a amiga a arrumar documentos e um emprego em um hotel. Além disso, marca alguns pequenos shows e ajuda a amiga a se transformar em “Jane Rose”.

Mais de 15 anos depois, Groa recebe uma carta do Brasil que o comove muito. E de seu “pai” que afirma que mesmo não sendo o pai biológico, encontrou nele um filho. Conta que está doente e que sente que vai morrer logo. Pede para o filho voltar ao Brasil e assumir o terreiro, ou o lugar vai desaparecer. Groa volta ao Brasil com Jane Rose para decidir se assume ou não suas responsabilidades com o Candomblé e se dá continuidade ao terreiro.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio