CNN Brasil contrata jornalistas demitidos após polêmica com racismo

Canal explica que não há nenhuma acusação formal contra os profissionais

Publicado há 9 meses
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A CNN Brasil surpreendeu ao contratar duas jornalistas que haviam sido demitidas pela Record, em Brasília, por participarem de um grupo racista, em uma rede social. De acordo com a coluna do Leo Dias, no UOL, as jornalistas são as repórteres Rachel Vargas e Gabrielle Varelle.

João Beltrão, que era diretor de jornalismo do canal aberto, também foi desligado e está na rede da Avenida Paulista.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

De acordo com a publicação, Beltrão foi demitido por não ter tomado nenhuma medida em relação ao complô. As demais estavam presentes no grupo e não há informações que tenham praticado racismo contra colegas negros da redação. A publicação explica que o segmento se chamava “Resistência”.

Ainda segundo as informações, os ex-colegas da Record não gostaram nada de saber que os jornalistas já estão trabalhando novamente e precisam, agora, encontrar com eles em pautas externas na capital federal. Beltrão é diretor do Expresso CNN, jornal de Monalisa Perrone e Carol Nogueira.

A CNN Brasil enviou nota à publicação justificando por que contratou os jornalistas. “Sobre os três jornalistas: um foi contratado em definitivo e as demais em caráter temporário, por 90 dias, para cobrir dezenas de outros profissionais fixos afastados em razão da pandemia do novo coronavírus”, diz o canal.

O comunicado ainda afirma: “O departamento de recursos humanos da CNN Brasília fez as devidas checagens do histórico profissional de todos eles. Nada foi constatado no âmbito legal que desabonasse a contratação. Não há qualquer comprovação, demissão por justa causa ou sequer acusação formal da participação dos três nos episódios das supostas ofensas”.

E se defendeu ainda: “A CNN Brasil reforça seu caráter pluralista e contrário a qualquer atitude de discriminação. Temos trabalhado diariamente pela inclusão em nosso quadro de funcionários em todo o Brasil”.

Vale lembrar que o principal âncora da CNN Brasil se desligou da Globo após ter um vídeo vazado com falas racistas. O assunto repercutiu fortemente na internet e William Waack jamais voltou a apresentar uma edição do Jornal da Globo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio