ENTREVISTA

Ben de Vai na Fé, Samuel de Assis dispensa título de novo galã da TV Globo: “Ficou ultrapassado”

Protagonista do horário das 19h00 falou sobre a mudança do perfil masculino admirado nas novelas

Publicado em 09/05/2023

O ator Samuel de Assis, de 40 anos, que atualmente brilha no horário das 19h00 da TV Globo na pele de Ben, em Vai na Fé, falou sobre a sua carreira na televisão e rejeitou o título de novo galã do horário nobre da emissora carioca. Em entrevista ao Splash, do UOL, o artista falou sobre a importância de ter atores negros protagonizando histórias na dramaturgia e destacou a mudança do perfil masculino admirado pelos telespectadores.

“Eu não sou o novo galã da Globo. O galã, como a gente está acostumado a ver, é ultrapassado. É uma masculinidade que não cabe mais no mundo. Aquela masculinidade de ser um homem viril, que exala uma força e não chora. A gente está sedento de ver homens tentando lidar com as suas emoções, com os seus sentimentos”, refletiu o ator.

Ainda de acordo com a visão de Samuel de Assis, o Benjamin criado pela autora Rosane Svartman é um homem mais interessante do que um galã convencial como o público está habituado a assistir. “Esse é o novo galã, esse galã me interessa ser. Tem me ensinado a ser mais centrado, mais seguro, a ter uma paz interior muito maior e menos impulsivo”, contou ele.

Sol (Sheron Menezzes) e Ben (Samuel de Assis) de Vai na Fé
Sol Sheron Menezzes e Ben Samuel de Assis de Vai na Fé

O ator também destacou a sua a cena mais impactante gravada em Vai na Fé e ressaltou a sua química com a atriz Carolina Dieckmann nas telinhas.

“Uma cena que me marcou muito mesmo foi a que a Carol [Carolina Dieckmann, que interpreta Lumiar] quebra o escritório inteiro. Foi uma briga forte do Ben com a Lumiar. A gente tem uma química muito louca que surpreendente todos nós… A gente fez a cena até o beijo e se separou, ninguém cortou e a gente continuou. A Carol parou e falou: ‘posso?’ O Paulo falou: ‘pode’. Ela começou a quebrar o escritório inteiro. No final, a gente estava numa exaustão de sentimento”, declarou.

Por fim, o artista falou sobre a importância de ter uma novela protagonizada por atores negros e enfatizou que é um ato político o público acompanhar Vai na Fé.

“Como posso fazer para trazer mais meus irmãos pretos (para a TV), o que eu posso fazer para abrir caminhos, assim como tantos abriram caminhos para mim. É tão rico falar disso. Como disse Fred Nicácio no BBB, tantos dos nossos só podiam sonhar com a liberdade e hoje eu estou aqui fazendo uma novela com 70% dos atores pretos. Para que eu vou falar da minha vida pessoal, sabe? A gente precisa provar para a Globo e todo mundo que a nossa história merece ser contada. É um ato político assistir e dar audiência para essa novela”, completou Samuel de Assis.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade