Após declaração polêmica, Sikêra Jr. é denunciado por crime de homofobia

A ação pede a prisão do apresentador do Alerta Nacional

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sikêra Jr. foi denunciado ao Ministério Público de São Paulo por conta de declarações realizadas em seu programa, o Alerta Nacional. A ação pede a prisão do apresentador da Rede TV! devido a crime de homofobia.

O responsável é o ativista LGBTQ+ e suplente de deputado Agripino Magalhães, que entregou o documento à Justiça na última terça (11). As informações são do portal Notícias da TV.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ponto alto para a ação aconteceu durante o programa do dia 5 de maio, no qual Sikêra abordou uma reportagem de jovens que invadiram uma igreja para quebrar imagens de santos. Ao comentar o caso, o apresentador traçou um paralelo do ato com a militância homossexual.

“Se um policial chega aí e prende um menor desse, ‘ah, é ditadura’. Mas aí pode. Senhores, eu gosto muito de inverter as coisas. Eu vou inverter as coisas agora. Imagina se isso aí, imaginem se fosse uma bandeira do orgulho gay e eu rasgasse ela, ou alguém rasgue. Ave Maria! A hashtag tava comendo o fígado de quem fizesse isso”, afirmou.

Além disso, Sikêra fez uma referência a Agripino. “Ah, já aparecia os líderes, né? Associação. Tem o cabra safado lá de São Paulo, o que é suplente. Suplente de baitola, aquele safado do ventão, né? ‘Ah, eu estou representando contra ele’, o ventão vai dá o teu caneco pra lá! Cabra safado. Isso é coisa de vagabundo”, disse.

As declarações foram o ápice para a decisão de Agripino em processar o apresentador. De acordo com o documento, ele profere “falas medíocres, muitas vezes desprovidas de veracidade, e às vezes enaltecendo pessoas assassinadas, que ele mesmo pecha como bandidos, facínoras, sem que exista um processo ou condenação”.

A defesa do ativista pede que Sikêra Jr. seja investigado por crime de injúria racial, calúnia, discurso de ódio e homofobia, assim como a verificação do horário de exibição do Alerta Nacional, considerado inadequado.

“Esse elemento, além de pernicioso à sociedade, formador de opinião, busca-se, desde logo, sua prisão provisória e quando indiciado e denunciado, a preventiva, pois é um perigo para as sociedades minoritárias, e deve preso responder pelas práticas irrogadas”, revela o documento.

A Rede TV! foi procurada mas não se pronunciou sobre o caso. Assista ao vídeo que rendeu a denúncia a Sikêra Jr.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio