7 vilãs esquecidas pelo público mas que merecem ser lembradas

Publicado há 4 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Odiadas, amadas, temidas, invejadas, e apavorantes. Nem só de Carminhas e Nazarés vive a teledramaturgia brasileira. Existem vilãs igualmente maléficas que a maioria das pessoas esquece. Fizemos uma lista com algumas delas. Qual você se lembra?

Cássia Kiss na pele de Adma Guerreiro (Divulgação/ TV Globo)

Adma Guerreiro

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A vilã interpretada por Cassia Kiss na novela Porto dos Milagres (2001), levou a sério o antigo ditado que dizia que por trás de um grande homem existe uma grande mulher. Adma acreditava cegamente na profecia feita por uma cigana que dizia que seu marido, Félix Guerreiro (Antonio Fagundes), um dia seria rei, e lutava para isso cometendo diversos crimes. O primeiro deles foi matar seu cunhado, Bartolomeu, irmão gêmeo de Félix e dono de uma enorme fortuna, apenas para que Félix assumisse seu lugar. Em posse de dinheiro, e visando cada vez mais poder, a então primeira dama da cidade de Porto dos Milagres começa a ser procurada por diversas pessoas que conhecem um segredo deixado por Bartolomeu: um herdeiro legítimo, filho de Arlete (Letícia Sabatella), prostituta de quem Adma encomendou a morte no passado. A vilã e serial killer agia em silêncio com o apoio de Eriberto (José de Abreu) que em nome do amor que nutria por ela, a ajudava a encobrir seus assassinatos, quase todos cometidos por envenenamento. A esposa do prefeito guardava dentro de um enorme anel, um poderoso veneno em pó que colocava nas bebidas de suas vítimas. Guma (Marcos Palmeira) era um homem simples que lutou pelos direitos dos pescadores da cidade ao abrir uma cooperativa de trabalho. Verdadeiro herdeiro de Bartolomeu Guerreiro, ele foi perseguido pela vilã sem nem mesmo saber sua verdadeira origem.


Selma Dumont

Direto da novela Desejos de Mulher (2002), Alessandra Negrini deu vida à uma vilã com inúmeras camadas tão competente era sua atuação e o texto escrito para a personagem, que confundia os telespectadores alternando entre boas e más intenções. Selma era sócia da protagonista Andréa Vargas (Regina Duarte) em seu ateliê de moda,e ostentava o orgulho por ter tamanho poder na maior grife do país. Além de ser amante do marido de Andréa e seu comparsa Bruno (José de Abreu), a vilã planejava algo muito maior: roubar tudo o que pertencia à sócia, inclusive seu nome jurídico e suas criações. Após alcançar seu objetivo de destruir moral e financeiramente a rival, a moça que sofria transtornos psicológicos revelou ser irmã biológica de Andréa, revelando também o motivo de sua inveja: ao ser adotada por outra família, Andréa teve oportunidades que Selma não teve e se tornou sucesso sendo ovacionada pela mãe biológica que a acompanhou de longe.

Letícia Spiller foi Maria Regina em Suave Veneno (Divulgação/ TV Globo)

Maria Regina

Interpretada por Letícia Spiller, Maria Regina de Suave Veneno (1999) era a filha mais velha de Waldomiro Cerqueira (José Wilker), homem que migrou de Pernambuco e enriqueceu tornado-se o “imperador do mármore” ao abrir a empresa Marmoreal. Maria Regina era a diretora executiva da empresa e tinha além de choque de ideais com o pai, desprezo por sua origem pobre. Ao longo da novela, a vilã tomou posse da empresa, tentou retirar o poder acionista das mãos das irmãs Maria Antônia (Vanessa Lóes) e Maria Eduarda (Luana Piovani), e tentou matar Lavínia (Glória Pires), camelô grávida de seu pai, inclusive ameaçando queimar sua barriga com um ferro de passar de roupas ligado. Marcada por frases ácidas, a vilã chegou forjar uma agressão sexual para se separar do marido e tomar para si as jóias roubadas do cofre do pai.

Angela Vieira era Janete em Terra Nostra (Divulgação/ TV Globo)

Janete Maglianno

Foi em Terra Nostra (1999) que o público conheceu a maldosa Janete Maglianno. Moradora da famosa Avenida Paulista em 1894, a vilã vivida por Ângela Vieira foi uma espécie de madrasta má da Cinderella para a mocinha Giuliana (Ana Paula Arósio). Acolhida por Francesco (Raul Cortez) que fora amigo de seu pai, Giuliana era tratada como empregada por sua esposa Janete que se opunha a seu idioma, seu comportamento e sua simplicidade. Quando seu filho Marco Antonio (Marcelo Anthony) resolve se casar com a moça mesmo ela esperando um filho de Matteo (Thiago Lacerda), Janete resolve colocar um fim à união roubando a criança e levando-a para uma casa de adoção.

Elza interpretada por Vanessa Gerbelli em Prova de Amor (Divulgação)

Elza Socorro

Vilã da novela Prova de Amor (2006), a malvada interpretada por Vanessa Gerbelli era uma sequestradora de crianças, que usava os pequenos para ganhar dinheiro pedindo esmolas na rua junto com seu comparsa Vicente (Luis Henrique Nogueira). Ao se juntar a outro vilão da trama, Lopo (Leonardo Vieira), ela sequestrou a filha do casal protagonista e criou a garota, explorando-a. Elza era esquizofrênica, o que não a impediu de usar sua sensualidade a seu favor.

Alessandra Negrini foi Taís a gêmea má em Paraíso Tropical (Divulgação/ TV Globo)

Taís

Taís (Alessandra Negrini) era considerada a gêmea má de Paula, irmã que ela sequer tinha conhecimento da existência em Paraíso Tropical (2007). Mulher inteligente e bonita, ela tinha o desejo de ascender socialmente e vivia de pequenos golpes, vendia jóias inventando serem feitas por um famoso designer italiano quando na verdade, as jóias eram desenhadas e escupidas por seu vizinho. Taís infernizou a vida de Paula e Daniel (Fábio Assunção) com ajuda de Olavo (Wagner Moura) que sonhava ter o controle sobre o Grupo Cavalcanti, inclusive tentando assassina-la e tomando seu lugar durante o casamento da gêmea.

Flávia Alessandra como Cristina em Alma Gêmea (Divulgação/ TV Globo)

Cristina Saboya

Flávia Alessandra deu vida à Cristina Saboya em Alma Gêmea (2005), vilã que invejava a prima Luna por esta ter se casado com Rafael (Du Moscóvis) homem que Cristina sempre desejou, por ser rica enquanto a própria era apenas a governanta da casa. Após a morte de Luna, Cristina passa a viver às sombras de Rafael na esperança de um dia poder casar-se com ele e herdar tudo o que fora da prima. Ao perceber que Rafael está encantado pela mestiça Serena (Priscila Fantin) e que seu comportamento melhorou, após 20 anos recluso,, a vilã prepara diversos golpes para a rival que inclusive chegou à morte no capítulo final.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio