“Precisávamos nos adequar”, diz diretor Raoni Carneiro sobre mudanças no Criança Esperança

Publicado há 3 anos
Por Leandro Lel Lima
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Raoni Carneiro já integrou o elenco de séries e novelas, A Vida Alheia e A Lua Me Disse, Globo, e Amigas e Rivais, SBT. Mas o seu “lado” diretor falou mais alto e Raoni passou a dirigir programas de entretenimento. Entre eles o Show da Virada, Festeja, Criança Esperança. Agora, sua mais nova empreitada é o Só Toca Top, nova aposta das tardes globais com Luan Santana e Fernanda Souza.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Raoni, que é casado com a atriz Fernanda Rodrigues, falou com entusiasmo sobre o Criança Esperança. O tradicional show apresentado há mais de 30 anos, que busca arrecadar dinheiro para projetos sociais. Mas que nas últimas edições vem se aprofundando em debates sociais como racismo, protagonismo feminino e questões de gênero.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Ivete Sangalo desenvolve projeto social e sigiloso com diretor da Globo

Então em 2017, a ação promovida pela Globo arrecadou mais de 20 milhões de reais. Com isso contemplou mais de 85 projetos sociais. Assim, em toda a sua história mais de 320 milhões já foram doados e distribuídos para os mais de 5 mil projetos de acordo com o site oficial da atração. Neste ano o tradicional show já tem até data para acontecer, 18 de agosto.

Confira!

Criança Esperança 2018

Estamos no processo. 18 de agosto. Aqui nos queremos isso [artistas com discursos engajadores].  O principal conceito é que o mundo mudou e a gente precisa nos adequar.

Mudanças no formato

Era um espetáculo grande com outro conceito. Era o meu sonho dirigir aquele Criança Esperança. Não é que era certo ou errado. Olha a realidade que estamos vivendo… Cabe fazer um show daquele ou parar refletir, olhar pro lado? A gente tem que olhar pro lado.

Mobilizadores

Ali tem um pouco de cada um de nós [Lázaro Ramos, Dira Paes, Flavio Canto, Leandra Leal, Camila Pitanga]. Esse ano tem mais novidade ainda.

Renato Aragão

Ele faz parte de tudo isso, ele é o símbolo. Cada pecinha dessas tem o “olhar pro outro”. Que Brasil que queremos?

Questões sociais

Estamos num momento em que o mundo precisa olhar pro lado. Não é só o idoso, mas a criança que será o idoso no futuro. Temos cases. O vídeo do Lázaro falando sobre racismo.  TV aberta proporciona isso. É aí aqui que é pra debater [Criança Esperança], não no Show da Virada.

Desafios

Desde que eu assumi temos temas. Provocação é a melhor palavra. Como provocar? É um desafio maneirismo.

Só Toca Top

Não é uma votação. É uma questão de performance. As estratégias de divulgação são diferentes. O cara pode não ter uma divulgação forte na rádio, mas tem um olhar diferente na internet.  Cada lugar no seu lugar. É um programa de música para um Brasil desse tamanho [massa, popular].

Parceria Globo e Multishow

O Multishow tem o seu DNA musical bem estruturado. As ideias colam. No Multishow na sexta, na Globo no sábado.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio