Ingrid Guimarães revela inspiração em Mariah Carey para personagem diva de Bom Sucesso: “Ela fala loucuras”

Publicado há um ano
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A melhor atriz do Brasil! É assim que Silvana Nolasco irá se identificar em Bom Sucesso, próxima novela das sete que estreia no dia 29 de julho – substituindo Verão 90. Interpretada por Ingrid Guimarães, a personagem é uma verdadeira diva, extravagante, rainha de bateria, idolatrada por milhares de fãs e por si mesma – é importante ressaltar.

Silvana está sempre bem arrumada, com a autoestima elevadíssima, cheia de patrocínio e curtindo a vida. Em entrevista ao Observatório da Televisão, Ingrid Guimarães contou todos os detalhes do seu novo trabalho na Globo. A inspiração para compor essa celebridade, por exemplo, veio de grandes estrelas como Mariah Carey, Claudia Raia e Suzana Vieira.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz revelou que a personagem é uma mulher que não esconde tudo o que fez para chegar ao topo da fama. Na trama, Silvana terá um triângulo amoroso com Marcos (Romulo Estrela) e Paloma (Grazi Massafera).

Ao longo da conversa, Ingrid também relembrou o início da carreira e analisou o espaço dos comediantes na teledramaturgia. Confira tudo a seguir:

A personagem

Como você se preparou para
interpretar a Silvana Nolasco?

Eu vi vários vídeos. Uma das
pessoas que me inspirei foi a Mariah Carey, porque ela é uma pessoa que fala
loucuras com uma cara de nada. Tem aquela coisa de ser estrela há não sei
quantos milhões de anos, que matar todo mundo, mas a cara é de que vai mandar
você comprar um pão. Eu vi vídeos de várias divas, conversei com a Claudia
Raia. A Suzana Vieira falou para mim: ‘só pensa nisso: autoestima. Você tem que
se achar a maior atriz do Brasil’”
.

Como foi o papo com Suzana
Vieira e Claudia Raia?

A Suzana é um exemplo para
mim no sentido de que ela é uma diva há muitos anos. Todo mundo se treme quando
chega perto dela. Ela falou: ‘você tem que se achar a maior atriz do Brasil’.
Eu respondi que ia ter que fazer muita terapia [risos]. Uma coisa que é muito
diferente de mim: eu gosto de rede social, ela é viciada em rede social; eu
gosto de me mostrar mais próxima do público, mas ela só se mostra absolutamente
glamourosa. Eu conversei com a Claudia que nunca a vi simples. Ela me ensinou
poses
.”

Como é a personalidade da Silvana?

Ela é aquela atriz à moda antiga, se acha a melhor atriz do Brasil, não tem o menor problema em falar sobre isso. Tem milhões de seguidores, é a vilã da novela e vive para a carreira dela. Não tem marido, não tem filho. É uma mulher que vive para a fama dela e, assumidamente, ela se acha um máximo. Ela fala na terceira pessoa.”

Ingrid Guimarães interpreta uma diva em Bom Sucesso (Foto: Rafael Lima/TV Globo)

A verdade

Mas ela é uma boa atriz mesmo?

Ótima pergunta! Porque a
última personagem que eu fiz era uma atriz também. Só que era uma atriz péssima
que se achava, essa não. Essa realmente é uma grande atriz, ela é protagonista
da novela das oito. Vai ter uma novela dentro da novela. Na verdade, eu faço
dois papéis. E está um máximo brincar com aquela coisa de diva que existe no mundo
inteiro. Antigamente tinha essas atrizes, onde o mundo gira em torno delas. Ela
se acha um personagem e fala dela como se fosse uma outra pessoa. Ela fala: ‘ninguém
deixa Silvana Nolasco esperando’, ‘Silvana Nolasco não gosta que interrompam ela’.

Por que ela tem essas atitudes?
Ela está o tempo inteiro interpretando?

Eu acho que ela faz um
personagem dela mesma. Mas de tanto fazer, ela acabou se transformando nele.
Isso acontece muito. Ela acredita nele [no personagem]. Ela veio do interior de
Minas Gerais, pobre. Os pais não deram forças para ela ser atriz. Ela fez teste
do sofá e conta tudo o que fez. Ela assume tudo o que para chegar aonde chegou.
Ela não mediu esforços. Ela assume que botou silicone e que troca tudo por
post. Marca todo mundo: a joia, a pessoa da plástica. Aquela coisa que tentamos
esconder, ela bota no Instagram. Paparazzi ela contrata, tem um próprio. Qualquer
coisa que atrapalha a fama dela, ela destrói
.”

Vida amorosa

Ela vai ter um romance com
Marcos, personagem do Romulo Estrela. Como será esse relacionamento?

Ela começa a namorar o
personagem do Romulo como um casinho de cara gostoso, porque ela transa com
vários. Ela não é monogâmica, fala que transa com quem quiser
. Ela já
transou com o Mick Jagger e o Trump
. Só isso que tenho para dizer, não
sei se é verdade [riso].

Vai ter cenas quentes com o
Romulo? Como você se trabalhou para esses momentos?

Vai, vai, vai! Eu trabalhando me matando na ginastica, me matando na dieta. Acho que não como um carboidrato há uns três meses.”

Silvana Nolasco (Ingrid Guimarães) e Marcos (Romulo Estrela) em Bom Sucesso (Divulgação/ TV Globo)

Exercícios e dieta

Qual dieta você está fazendo?

Eu faço dieta com a Patricia
Davidson [nutricionista], acompanhando com exames e tudo. Dieta low carb total,
que me dá energia. Estou malhando dia sim, dia não. Fazendo coisas estéticas no
corpo. Eu sou rainha de bateira, já mostrei tudo o que pude. Claro que o figurino
de protege muito, eu não sou uma garotinha. Então o figurino condiz com a minha
idade. Eu tenho um corpo de garota, mas fazer novela com a Grazi [Massafera]
ajuda muito. A Grazi, só de olhar, você já se sente diva. Ela é muito fofa! Eu
estou com o mesmo personal dela, então eu penso nela. Às vezes malhamos juntas
e ela me incentiva
.”

Quais atividades físicas você
está fazendo?

Eu faço com o Chico Salgado,
que é o mesmo da Grazi. É aquele funcional com boxe junto com aeróbico, junto
com exercício de força, abdominal, essas coisas todas. Claro que isso tudo
ajuda porque eu fico de maiô e lingerie, mas eu acho que o que importa é o
estado dela. É o que ela se vê, muito mais do que o outro vê. O figurino é um
caso a parte. Vale a pena ressaltar o trabalho da Rosane Gonçalves porque,
assim, o figurino é um acontecimento
.”

Namoro falso

Como está a parceira com o
Rafael Infante, que irá interpretar o galã Pablo Sanches?

Eu tenho dois momentos na
novela. Um momento que é mais realista, que faço um triângulo com o Romulo e a
Grazi. Com o Romulo, fizemos uma coisa bem legal que é bem sexy e, ao mesmo
tempo, eles se divertem um com o outro. Ele não sabe nem o meu nome, me confunde
com a Heloísa Périssé [riso]. No texto estava Adriana Esteves, Giovanna Antonelli,
e eu falei para botar a Heloísa Périssé. Todo mundo [produção] falou que não,
mas eu falei para irem na minha porque todo mundo confunde e vai ser um piadão.
Eles [produção] colocaram até na chamada, que eu vi. Então eu tenho esse
triângulo com o Romulo, um tórrido romance. Ela também tem um romance fake com
o Rafael Infante, que eu nunca tinha trabalhado. Ele é ator famoso como eu, e
jogaram nos dois na avenida dois meses antes de começar a gravar a novela,
então não estávamos nem prontos. Mas foi uma experiência incrível porque é
sempre um prazer contracenar com comediante
, porque você sabe que vai
ter jogo de cara. Tudo o que eu propus, ele aprovou. Nós improvisamos. É muito
legal também porque a Rosane Svartman, além de autora, é diretora de cinema,
uma pessoa que gosta de ator. Ela me deu liberdade para propor coisas. É uma
personagem para se divertir, além de tudo fico linda. No último papel, eu não
fazia nem sobrancelha.”

Lidando com a autoestima

Você já teve problema de
autoestima em alguma fase de sua vida?

Claro que tive. Eu não nasci
no Rio de Janeiro, eu vi de Goiânia falando ‘porrrra’ e ‘porrrteira’. Nós temos
um sotaque característico, então rolava um bullying na escola. Me chamava de
roceira, eu me sentia muito a menina do interior. Goiânia não era essa cidade que
é hoje. Nunca tive padrão. Eu sou muito mais bonita hoje, é só olhar meus
trabalhos antigos. Hoje, a televisão se abriu muito para todos os padrões e
para as comediantes. Quando uma comediante, quando eu comecei a carreira, ia fazer
um papel de musa gostosa? Nunca! O mundo mudou para a abertura dos tipos
físicos de nacionalidade, cor, raça. Tudo está muito mais aberto. Graças a Deus,
o mundo mudou para melhor. As comediantes hoje têm grandes papéis nas novelas, são
protagonistas e fazem mulheres bonitas. Nem todo mundo é bonito e nem feio,
todo mundo tem seu charme. Por isso que eu falo que o mais importante do que o
corpo e a dieta, é a atitude. Se você se acha linda, todo mundo te acha. Tem
muita mulher bonita que tem a autoestima baixa, a verdade é essa. Quando eu vim
para cá [Rio de Janeiro], falei que não me encaixava e que não ia fazer televisão
nunca, achava que não tinha lugar para mim. Era a época em que as modelos
estavam entrando nas novelas. As comediantes faziam papéis de empregadas,
secretária.

A Silvana Nolasco está
ajudando na sua autoestima?

Total! Ela nunca está básica e cansada. Ela está sempre linda, então eu tenho que estar em dia com tudo: pele, cabelo, corpo, astral. A minha personagem é muito para fora. Ela usa salto alto na praia. Tive que fazer aula de samba.”

Silvana Nolasco (Ingrid Guimarães) em Bom Sucesso (Divulgação/ TV Globo)

A sensualidade de Silvana

Você já entregou que sua
personagem vai ter uma dose de sensualidade. Vai dar para deixar sua filha assistir
Bom Sucesso?

Eu vou deixar, porque novela
das sete, por mais que seja sensual, não passa do ponto. Os meus filmes, por exemplo,
eu já não deixo porque acho que pode passar do ponto. É novela das sete, não
podemos nem beber, é brincadeira. É uma delícia fazer um papel que exerce a
sensualidade, é muito legal poder ser muitas. Na outra novela era exatamente o
oposto. Eu abri mão de toda a minha vaidade, foi maravilhoso. Nós atrizes temos
vantagens porque os personagens nos incentivam. Eu estava super preguiçosa,
agora estou superanimada, querendo malhar todo dia, me cuidar, fazer dieta,
ioga e coisas boas para o bem-estar
.”

Como foi essa experiência de
desfilar em uma escola de samba como rainha de bateria? As gravações foram
feitas no período do carnaval, né?

Foi incrível! Nunca tinha desfilado. Eu gosto de ver, mas sempre aproveito para viajar com a minha filha. Teve que ser muito rápido porque foi no meio do carnaval mesmo. Eu tanto desfilei na escola real, que é a Imperatriz, quanto fiz uma cena de rainha de bateria antes de começar [o desfile]. Tivemos meia hora, então foi tudo meio de improviso. Eu tive que contar com a participação do público. Quando eu entrei, o público não entendeu que era uma novela. O público achava que eu era rainha mesmo e eu fui exibida num nível que nem sou. Mandei beijos, coração [riso]. Aí eu falei: pronto, já fui rainha de bateria. Realizei [o sonho]’. Foi maravilhoso!

Ingrid Guimarães no desfile da escola de samba (Foto: Reprodução/ Instagram)

Projetos futuros e carreira

A sua personagem vai ter uma
biografia não-autorizada. Você tem vontade de ter a sua vida contato em um
livro? Você pensa em lançar um livro?

Não, todo mundo está me perguntando isso. Eu estou com esse plano, há um tempo, de escrever um livro. Não sobre a minha vida, porque acho que não sou tão importante assim. Mas eu tive uma trajetória de vida e de carreira muito fora de carreira, por ser comediante e ter muito preconceito na mulher comediante. Vir de outra cidade, não ter o tipo físico que a televisão permitia, ter que fazer da sua própria história, às vezes por falta de trabalho. E quando você faz a sua própria história, você arrebenta como foi o ‘Cócegas’ [peça de teatro]. Eu queria fazer um livro para incentivar os jovens atores. Muita gente quer ser ator achando que é uma vida de glamour, ninguém vive assim. Eu fico pensando: quando comecei a carreira, que não tinha primo, irmão, não era amiga de ninguém. Não frequentava as festinhas, vim de Goiânia tentando uma carreira. Se eu tivesse o livro de uma atriz que admirasse, que lesse e falasse assim: ‘eu vou conseguir’. É um livro para acreditar no sonho e para não deixar que o padrão te aprisione. Isso eu tenho vontade de fazer.

Você sempre sonhou em trabalhar
com humor?

O humor você não sonha, não escolhe. O humor que te escolhe. Você já nasce fazendo humor, é um dom que você tem desde pequena. Não é uma decisão, é um estilo de vida.”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio