Desabafo

Rodrigo Fagundes chora no Encontro com surpresa do marido e diz que “olha a faca” o “libertou”

Ator se emocionou com declaração de amor de Wendell Bendelack e protestou contra a LGBTfobia

Publicado em 17/05/2023

O ator Rodrigo Fagundes, que viralizou no início deste mês ao ser comparado com o ex-assessor de Jair Bolsonaro preso pela Polícia Federal, chorou ao vivo no Encontro desta quarta-feira (17) com uma declaração surpresa do marido, Wendell Bendelack. Juntos há 20 anos, o casal escondeu o relacionamento homossexual por medo, mas decidiu revelar a união para combater o preconceito.

Em vídeo exibido pelo programa da Globo, Wendell diz que contaria o “segredo” dos dois: “Eu te amo!”. Emocionado, Rodrigo Fagundes desabafou contra a LGBTfobia e revelou que seu personagem mais famoso, o Patrick de Zorra Total, o “libertou” da opressão.

“Hoje é 17 de maio, Dia Internacional contra a LGBTfobia. Em 1990, a OMS decidiu que a homossexualidade não era doença. Eu tinha 18 anos e achava que era doente. Eu me escondia, tinha medo! No Patrick, no ‘olha a faca’, eu me libertava de um jeito. Talvez por isso tenha feito tanto sucesso, era muito a minha essência. Eu tinha medo de falar quem eu sou. Acho que muita gente passa por isso. Asso essa geração incrível, porque eles lidam de uma maneira tão… não sei se é fácil, fácil nunca é, mas mesmo assim o Brasil ainda é o país que mais mata transexuais, que são aquele paredão de frente, que sentem mais, os gays. Vamos parar com isso, gente! Vamos respeitar! Eu estou muito emocionado, não estava esperando”, disse o comediante, secando as lágrimas.

Na sequência, Fagundes protestou contra o governo anterior, contrário à comunidade LGBTQIA+, o que o estimulou a expor mais o relacionamento com Wendell Bendelack.

“A gente está há 20 anos juntos, é muita coisa. Decidimos falar da gente há pouco tempo, acho que de 2017 para cá, porque depois de tudo o que a gente passou, nem quero polemizar, mas esse último governo falava dos homossexuais como se fosse doença, uma coisa horrível, e não é. A gente falou: ‘O que é isso? Eu não sou isso o que eles estão vendendo!’, esse retrocesso que a gente começou a querer viver. Agora, mais do que nunca, eu falo, uso meu Instagram para mostrar. Essa palavra ‘normal’ é complicada. É a vida que a gente escolheu. Já me calei, perdi algumas batalhas por não ter confrontado como deveria por medo, talvez não estivesse maduro o suficiente. Temos que espalhar isso. O bom é simples”, declarou.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade