Jéssica Ellen desabafa após mais um negro morrer em Amor de Mãe: “Parem de nos matar na dramaturgia”

Intérprete de Camila se revoltou pelo excesso de mortes de personagens pretos na trama das nove da Globo

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O assassinato de Lucas (Nando Brandão) em Amor de Mãe aumentou a revolta de telespectadores com a autora, Manuela Dias, por explorar a dor e a morte de mais um negro na trama das nove da Globo. A indignação chegou também ao elenco. Jéssica Ellen, intérprete de Camila, desabafou em sua rede social contra o massacre de personagens pretos na novela.

Em seu Instagram, Jéssica compartilhou nos stories uma sequência de posts antirracistas a respeito da fala preconceituosa de Rodolffo sobre o cabelo de João no BBB 21. Uma publicação, porém, foi interpretada como uma crítica a Amor de Mãe: “Parem de nos matar na vida e na dramaturgia”.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Antes de Lucas ser assassinado a tiros, Manuela Dias tinha escrito as mortes de Marconi (Douglas Silva), Rita (Mariana Nunes) e Wesley (Dan Ferreira). Camila quase morreu duas vezes: quando foi vítima de bala perdida, na primeira fase da novela, e quando foi atropelada, já na etapa ambientada na pandemia de coronavírus.

Na ocasião, Jéssica Ellen já havia mostrado insatisfação com o desfecho de sua personagem. Quando esta coluna publicou a análise intitulada “Camila cansou de ser forte, mas autora insiste em ‘mostrar sua força’”, a atriz curtiu a postagem no Twitter, endossando a crítica a Manuela Dias.

A novelista justificou o atentado contra a professora interpretada por Ellen com esse tweet: “Como saber quando um autor ama um personagem? Quando dá ao personagem chances de mostrar sua força”. Na primeira fase da trama, porém, a autora escreveu um dos diálogos mais marcantes de Amor de Mãe, em que Camila disse à mãe, Lurdes (Regina Casé), que cansou de ser forte.

“Eu tenho que ser forte porque eu sou mulher e pra mulher tudo é mais difícil. Tem que aguentar sempre um babaca olhando pro meu peito ao invés de prestar atenção no que eu tenho a dizer. Eu tenho que ser forte porque eu sou preta e a gente vive num país racista. Eu tenho que ser forte porque eu sou professora, porque eu tentei ajudar meus alunos e levei um tiro. Eu tô cansada, mãe!”, disse a personagem, internada no hospital após ser vítima de uma bala perdida e descobrir que estava grávida.

O último capítulo de Amor de Mãe irá ao ar nesta sexta-feira (9).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio