Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Entrevista

Tina ou Soraia? Com quem Antônio vai ficar no final de Quanto Mais Vida, Melhor?

Ator fala sobre o desfecho do filho de Rose e Neném na novela das sete

Publicado em 04/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Quanto Mais Vida, Melhor! entrou na reta final e o público quer saber: com quem Antônio/Tigrão (Matheus Abreu) vai ficar?

O rapaz está namorando Soraia (Camila Rocha) atualmente, mas ainda não esqueceu Tina (Agnes Brichta). Mesmo dando uma chance para Gabriel (Caio Manhente), a moça também sente algo pelo ex.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Tudo deve mudar quando Antônio descobrir que é filho de Neném (Vladimir Brichta). Ele volta a se aproximar de Tina e o clima pode esquentar novamente.

Em entrevista, Matheus Abreu deu uma pista sobre o desfecho do personagem. Segundo ele, a química com Tina é maior e intensa. Entretanto, tudo pode acontecer.

Confira o papo com o Antônio de Quanto Mais Vida, Melhor!

Chegamos na reta final da trama. Qual sua avaliação desse trabalho? O que leva para sua vida de aprendizado depois de interpretar o Tigrão? 

Viver o Tigrão me fez reconectar com sentimentos, dúvidas e incertezas que tive na adolescência. Nessa época, queremos nossa liberdade, independência, preferimos ficar com nossos amigos, os pais são quase extraterrestres… Com o passar do tempo, percebemos que é uma fase, mas que somos tolos por não aproveitar cada minuto com esses ETs. 

Nossa novela fala muito sobre a preciosidade das relações e como é um trabalho diário alimentar nossos afetos. Além desses sentimentos, o Tigrão me colocou em contato com atores que eu admiro muito e aprendi diariamente nesses meses de gravação. Falamos muito de amor, afeto, família e eu tinha artistas muito sensíveis ao meu lado. As cenas traziam discussões e nos faziam acessar memórias que foram maravilhosas rever.  

Antônio (Matheus Abreu) em Quanto Mais Vida, Melhor! (Reprodução/Globo)


Antônio finalmente vai descobrir que não é filho de Guilherme (Mateus Solano) e sim de Neném. Como foi gravar essas cenas? 

Com certeza foi um dos grandes desafios com esse personagem. Acompanhamos desde sempre o apreço que o Tigrão tem pela família unida, pelo amor do pai, que nem sempre o demonstrava, então o baque inicial foi muito grande para ele.

Até ele entender, mais uma vez, com a ajuda da Tina, que as relações entre eles não mudariam, que o amor nada tem a ver com um exame clínico. Além disso, Tigrão ganhou um paizão, um cara tão legal como o Neném, que é alguém que a gente quer por perto, e eles já estavam cada vez mais próximos. 

Essa descoberta vai aproximar ainda mais Tigrão de Tina, que também viveu algo semelhante na novela. O que o público pode esperar para os dois nessa reta final? O triângulo com Soraia se resolverá? 

Tina e Tigrão são muito diferentes em alguns aspectos e tão iguais em outros. Acho que essa proximidade no jeito deles foi o que fez essa relação ser tão espontânea e intensa. Eles aprenderam muito um com o outro e essas coincidências de confusões familiares vieram para unir ainda mais os dois. Agora, sobre o desenrolo desse trio, eu prefiro deixar o público descobrir assistindo a novela (risos).  

Fale um pouco sobre sua parceria com o elenco. Tem alguma história curiosa das gravações? 

Nosso elenco brilhou em dar um jeito de estar juntos nos momentos de cuidados com a pandemia. Mateus Solano, assim como eu, adora trilhar e me apresentou a Pedra da Gávea, no início das gravações. Mais para o fim, levamos uma galera para conhecer também.

Colecionamos momentos de trilha para cachoeiras, pedaladas pelo Rio e bons almoços, agregando os amigos do elenco. Foram momentos bem especiais tanto para a construção de memória para os personagens quanto memórias para minha vida mesmo.    


Tina (Agnes Brichta) e Tigrão (Matheus Abreu) de Quanto Mais Vida, Melhor! (Reprodução – TV Globo)

Como tem sido a recepção do público ao Tigrão? 

Ficam indignados com a volatilidade dele e não tiro a razão (risos). Ele preza muito pela relação familiar e quando as coisas dentro de casa não vão bem, isso estremece toda a vida e as relações que ele tem, principalmente com a Tina, que sofre para acompanhar essa cabecinha bagunçada do Antônio. Mas ele está aprendendo e o apoio da Tina com certeza faz toda a diferença – mas, coitada, é uma labuta para ela.  

O personagem tem uma relação muito forte com o skate e, diferente do pai biológico, quase nenhuma com o futebol. Tem alguma relação com esses esportes? 

Sou um apaixonado por esportes e sempre fui de experimentar todos que tive oportunidade. Na infância, eu fazia escolinha de futebol e sempre joguei bola na escola, sempre gostei. Apesar de ser bem perna de pau (risos), isso nunca me fez deixar de me divertir.

O skate veio um pouco mais tarde, na adolescência com o long board. Quando comecei a andar, o que me chamava a atenção era o downhill, que é a descida de morro e serras de skate. Me aventurei durante um tempo nisso, mas uma queda me fez perceber que é uma adrenalina e um risco que não cabiam na minha vida. Então passei a andar de skate só para dar um rolê mesmo. O Tigrão me fez ter contato com o skate de manobras e, principalmente, com a pista, que com certeza foi onde mais me diverti. 

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....