Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
VETERANO

Sem atuar e com doença crônica: a vida de Pedro Paulo Rangel, o Calixto de O Cravo e a Rosa

O ator de 73 anos iniciou sua carreira na TV em 1970

Publicado em 21/02/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A reexibição de O Cravo e a Rosa na nova faixa de novelas da Globo está fazendo o maior sucesso. Além de conferir a história clássica escrita por Walcyr Carrasco, o público pode acompanhar atuações célebres.

O ator Pedro Paulo Rangel, que vive o caipira Calixto, é uma das estrelas que compõem a trama de época, exibida em 2000, quando o veterano tinha 52 anos. Atualmente ele tem 73.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Desde 2012 o artista está sem atuar especificamente em novelas. A última foi Amor Eterno Amor, na qual interpretou Zé da Carmen. Depois dela, esteve nas séries As Brasileiras (2012) e O Dentista Mascarado (2013), na Globo.

Em O Cravo e a Rosa, Calixto é um ‘roceiro’ fabricador de queijos, tio de Lindinha (Vanessa Gerbelli), e que trabalha na propriedade de Petruchio (Eduardo Moscovis) há anos.

Os dois, inclusive, têm uma relação quase que de ‘pai e filho’. No decorrer da história, ele vai se apaixonar por Dona Mimosa (Suely Franco).

Calixto (Pedro Paulo Rangel) e Mimosa (Suely Franco) em O Cravo e a Rosa (Reprodução/Globo)

Ator não quer voltar para as novelas

Em uma entrevista ao jornal O Globo em 2019, Pedro Paulo Rangel afirmou não ter mais desejo de atuar em novelas. “Já cumpri esse carma. Não tenho mais saúde para me dedicar a um trabalho intenso de 11 meses com eventuais externas à noite”, justificou o artista.

Ao Domingo Show, da Record TV, em 2017, o ator comentou que sua saída da Globo era para ser temporária, mas que depois a emissora encerrou seu contrato.

“Hoje em dia, sacudo os ombros para eles. Mas, na época, fiquei muito magoado. Não precisa, uma TV como essa, tão premiada, tão famosa, agir dessa maneira”, contou Pedro Paulo.

Vale lembrar que Pedro Paulo Rangel estreou na TV em 1970 na Rede Tupi. E foi em 1972 que ele migrou para a Globo para fazer sua primeira novela da carreira, Bicho do Mato, já em um papel de destaque.

Ao longo das décadas esteve em inúmeros projetos de sucesso da teledramaturgia, como as primeiras versões de Gabriela e Saramandaia, assim como A Indomada, em 1997, Torre de Babel e Pecado Capital, ambas em 1998.

Pedro Paulo Rangel e Suely Franco repetiram a parceria na novela Cama de Gato (Reprodução/Globo)

Doença crônica

Dedicando-se quando pode ao teatro, Pedro Paulo Rangel convive com uma doença respiratória crônica.

Por isso também que, durante a pandemia, optou por ficar em isolamento social pela maior parte do tempo. “Resta-me ficar em casa, esperando, mascarado”, disse ele à revista Veja Rio, em 2020.

Em 2017, Pedro Paulo relatou uma rotina complicada por conta da enfermidade. “Não é falta de ar. É o contrário. É excesso. Fico empapuçado porque não tenho força para expelir o ar do pulmão”, descreveu o ator à reportagem da Record TV.

Não deixe de conferir também: Primeira versão de O Cravo e a Rosa teve Antonio Fagundes como Petruchio; compare o elenco

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....