Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
TÁ ACABANDO

Quem vai morrer no final da novela O Clone?

Folhetim de Gloria Perez apresenta destinos trágicos de alguns personagens

Publicado em 03/05/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A reprise de O Clone no Vale a Pena Ver de Novo está chegando ao final e muitos telespectadores querem saber quem vai morrer na novela.

Gravada entre 2001 e 2002, a trama trouxe à TV diversas pautas relevantes e também uma história ficcional repleta de reviravoltas misteriosas.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Acompanhe a seguir como se dará o encerramento das histórias de alguns dos personagens criados por Gloria Perez.

O médico geneticista Albieri (Juca de Oliveira) em O Clone (Reprodução)

Albieri não aguenta a pressão

Albieri (Juca de Oliveira), um dos protagonistas de O Clone e responsável pelo mote principal da trama – a clonagem – vai ter um final misterioso.

O médico, que passa a história toda receoso de ter seu segredo descoberto (a clonagem de Lucas, que resultou em Leo, gerado na barriga de Deusa), vai acabar sendo julgado pela Comissão de Ética e condenado após diversos depoimentos, incluindo o de sua própria esposa, Edna (Nívea Maria).

Léo (Murilo Benício) e Albieri (Juca de Oliveira) em O Clone (Divulgação Globo)

Já sabendo que a mulher vai denunciá-lo, Albieri parte para o Marrocos em busca de um refúgio na casa de Ali (Stênio Garcia). Lá em Fez, ele fica sabendo tudo o que Edna disse por Júlio (Murilo Grossi), que o telefona em tom de alerta.

É aí que Albieri garante que prefere a morte do que ser escorraçado pela sociedade e decide fugir. Ele implora para que Léo (que o seguiu até o país sem ele saber) volte para o Brasil, mas não consegue.

No desfecho, o criador e a sua criatura, de modo inusitado, são ‘engolidos’ pela poeira do deserto.

Albieri (Juca de Oliveira) e Leo (Murilo Benício) em O Clone (Reprodução/TV Globo).

Léo vai morrer?

Assim como o desfecho de Albieri, o de Leo é igualmente intrigante. Desde que cresceu, o rapaz clonado se mostra alguém completamente desnorteado.

Sem ‘identidade’, ele passa a viver uma vida que não é de fato sua, e na verdade, parece seguir boa parte do que foi vivido por Lucas. Para se ter uma ideia, ele se sente atraído por Jade e os dois até ‘se conhecem melhor’. Tudo isso gera muitos embates psicológicos entre ele e o próprio Lucas.

Acreditando que Albieri é seu verdadeiro pai – e que de fato é, afinal, o fez em laboratório -, ele cria uma conexão muito forte com o médico até os momentos finais da trama.

Léo (Murilo Benício) e Deusa (Adriana Lessa) na novela O Clone

O rapaz clonado segue Albieri até o Marrocos, deixando o cientista bem aflito, afinal, tudo o que ele quer é ficar sozinho para sumir do mapa. No final, Léo consegue convencer seu criador de ficar junto a ele e os dois desaparecem no deserto.

O ponto é: Albieri e Leo morrem no final de O Clone? O sumiço em meio à areia é uma metáfora usada por Gloria Perez para simbolizar a morte deles? Ou então um recomeço de vida? O que acontece com os dois o público não fica sabendo.

Albieri (Juca de Oliveira) e Léo (Murilo Benício) em O Clone

Regininha tem destino trágico em O Clone

Regininha (Viviane Victorette), amiga de Mel e de Nando, vive um drama não somente com as drogas como também com a família. No último capítulo de O Clone, a garota está certa que precisa mudar de vida, mas para isso precisa de ajuda.

Ela então procura a mãe, mas não é bem recebida. Ela é rejeitada totalmente e expulsa como se fosse um animal. Depois dessa cena, Regininha não é mais vista na novela e nem pelos personagens que a conhecem, Mel, Nando, Telminha (Thais Fersoza) e Cecéu (Sérgio Marone).

Regininha (Viviane Victorette), Mel (Débora Falabella) e Nando (Thiago Fragoso) em O Clone (Divulgação)

No decorrer do capítulo final, Mel aparece sem usar drogas há um ano. Na reunião do Narcóticos Anônimos ela fala sobre sua recuperação.

“Eu sou uma dependente química em recuperação. Só por hoje em não bebi, só por hoje não me droguei. É muito difícil viver assim, um dia de cada vez, uma vida inteira em um dia. Eu deixei muitas páginas em branco na minha vida. Muita coisa eu sei que vou conseguir recuperar, mas muita coisa eu sei que perdi pra sempre, mas eu tô lutando pra me levantar. E sei que com a ajuda de vocês eu vou conseguir”, diz Mel, emocionada.

Depois, disso, ela se une a Nando, que também deixou a clínica de reabilitação, para abrir um espaço para ajudar dependentes químicos. Para homenagear a amiga desaparecida, eles batizam o local de ‘Clínica Regininha’. Não se sabe se a personagem morreu.

Nando (Thiago Fragoso) e Mel (Débora Falabella) no final em O Clone (Reprodução Globo)

Leia outros textos desta colunista.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....