Fofoca na TV – uma análise dos programas e profissionais do ramo

Jornalismo de celebridades é amado por uns e odiado por outros

Publicado há 6 meses
Por Redação
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Há alguns anos a fofoca tomou lugar de protagonistas nas grades de programação das emissoras. Se antes as notícias sobre as celebridades se restringiam a quadros, geralmente dentro dos programas femininos ou de variedades, agora eles ganharam seus próprios programas.

O TV Fama foi um dos pioneiros. Na Rede TV! a fofoca deixou de ser quadro e ganhou vida própria como programa de TV. Junto com ele ou pouco depois vieram várias atrações como todos os programas apresentados por Sonia Abrão, Leão Lobo, Nelson Rubens e Mamma Bruscheta, profissionais precursores no gênero fofoca.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O sucesso deles despertou o interesse de outros profissionais, jovens jornalistas que atuavam na mídia impressa e online, começaram a alçar voos no rádio e na TV. Foi aí que surgiram Léo Dias e Fabíola Reipert, dois dos maiores nomes do jornalismo de Celebridades dos últimos anos.

Com eles na TV, surgiram os programas Fofocalizando no SBT e o quadro de sucesso A Hora da Venenosa, dentro do Balanço Geral na Record TV, que se espalhou com versões por todo o Brasil. Outros nomes contemporâneos são Fefito, Gabriel Perline e Keila Jimenez.

Mas um nome tem chamado a atenção, o mais novo fofoqueiro, Erlan Bastos. Polêmico, o jornalista que apresenta um programa na TV Meio Norte no Piauí, tem roubado a cena no cenário Nacional.

É por isso que o Observatório da TV aproveita para reunir o veterano Leão Lobo e o novato Erlan Bastos para um debate mediado por Neuber Fischer. Juntos eles fazem uma uma análise dos programas de fofoca e dos profissionais, jornalistas que atuam na editoria de notícias sobre as celebridades.

Assista:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio