O discurso de Otávio que derruba Alexandre no dia do julgamento

O bandidão é condenado a 18 anos de prisão e promete vingança a todo mundo

Publicado há 3 dias
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O público de A Viagem, reprise em transmissão no canal Viva, confere nesta semana da novela o julgamento de Alexandre (Guilherme Fontes), acusado de matar a tiros um colega de trabalho durante uma tentativa de roubar o dinheiro de um cofre na empresa onde trabalhava, logo no primeiro capítulo da novela.

Após ser preso e passar pelas piores situações atrás das grades, como apanhar de outros detentos, além de uma fuga onde tudo deu errado, Alexandre só piorou sua situação. Não bastando, ele tem Otávio (Antônio Fagundes), um dos melhores advogados criminalistas, contra ele.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Otávio, que descobriu outros tantos crimes dele como atropelamento de criança e porte ilegal de drogas, avisa que fará de tudo para ele pegar pena máxima. E consegue! Alexandre é condenado a 18 anos de reclusão em regime fechado.

Confira o discurso final de Otávio contra Alexandre:

Eu falo em nome de quatro crianças e de uma pobre mulher desesperada. Não venho propor uma deliberação sentimental. Venho aqui fazer um apelo, o mais veemente dos apelos, por justiça. Justiça que não é produto de ódio nem de vingança.

Justiça que é a necessidade de se garantir a defesa da sociedade a quem representamos […] o réu não é uma criancinha inocente. Puros são os filhos da vitima, que perderam um pai, um homem extremoso, bom, digno, honesto.

O réu tem 24 anos, sabe perfeitamente bem o que é um revolver. É capaz de manejar com perícia e até o provou, porque feriu a vitima mortalmente senhores. No mínimo é ridículo a negação de que não queria atirar e matar. No mínimo, o réu queria apenas brincar, o réu é tão jovem, tão inocente.

Não senhores! Não se brinca coma vida alheia. Não se brinca com a vida de um chefe de família. O réu seguramente ignora o que seria isso, ignora o que seja responsabilidade de uma esposa de 4 crianças, como ignora quase tudo.

Ignora o que seja uma arma, ignora até que dinheiro não se toma emprestado arrombando cofres. O réu é inocente e deve ser posto em liberdade meritíssimo? Pra quê? Pra continuar contraindo dividas para pagá-las?

Se é que tem intensão de pagá-las algum um dia, com dinheiro emprestado em cofres arrombados, nem que pra isso tenha que passar por cima das pessoas, matar chefes de família, usar armas sem querer e deixar 4 crianças órfãs.

Esse é o roteiro desse jovem que se diz vitima da fatalidade e é nossa responsabilidade. Se deixarmos esse jovem inocente sair em liberdade, se dermos a ele a pena mínima, ele continuará na sua seda, arrombando cofres, matando chefes de família e deixando mulheres viúvas e crianças órfãs.

A Viagem vai ao ar todos os dias, meia-noite e reprise às 15 horas

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio