Mayara Magri relembra os bastidores de A Escrava Isaura e fala sobre o ‘quem matou Leôncio?’

A artista disse ser genial mudar o responsável pela morte do vilão

Publicado há 3 meses
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Responsável por ter vivido a Tomásia de A Escrava Isaura (2004), novela da Record TV que exibe o último capítulo nesta terça-feira (18), Mayara Magri falou sobre as gravações do folhetim, que foi dirigido por Herval Rossano, na época marido da atriz.

“Quando ele foi chamado para uma reunião na Record, não sabia para qual novela. Aí acabou levando alguns projetos que havia dirigido, como Helena e Senhora, ambas de 1975, e Isaura (1976), que poderiam ser refeitos”, declarou a estrela ao colunista Flávio Ricco.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Foi uma loucura! Contratado para dirigir Isaura, ele precisou criar todo um núcleo porque a Record ainda não tinha nada. Mas sabia o que estava fazendo. Era um talento muito grande. Tenho muito orgulho de assistir à novela e ver tudo o que ele fez, o que a gente fez, esse elenco maravilhoso”, elogiou a artista.

A famosa declarou estar surpresa com a repercussão do folhetim, mesmo se tratando de uma quarta reprise no canal do bispo, e enalteceu a ideia de sempre ir mudando quem foi o responsável pela morte de Leôncio (Leopoldo Pacheco). “Foi genial isso! Cada reprise vem um assassino diferente”, concluiu Magri.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio