“Tudo é racismo, preconceito e assédio. Um saco”, dispara Glória Maria

Apresentadora também falou sobre relação com sua equipe

Publicado há 4 meses
Por Daniel Neblina
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ganhou repercussão nas redes sociais uma entrevista concedida pela apresentadora Glória Maria à jornalista Joyce Pascowitch na última sexta-feira (25). No bate-papo, foram abordados temas delicados, como racismo, preconceito e assédio.

Questionada sobre como lida com isso, a apresentadora do Globo Repórter foi direta. “Acho isso tudo basicamente um saco. Hoje tudo é racismo, tudo é preconceito. Tenho meus câmeras antigos, técnicos que estão comigo há 40 anos e todos me chamam de ‘neguinha’. Nunca me ofendi, nunca me senti discriminada. Me chamam de uma maneira amorosa e carinhosa“, pontuou.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Hoje, tudo é preconceito, tudo é assédio e está chato. Eu estou há mais de 40 anos na televisão, fui paquerada muitas vezes, mas nunca me senti assediada moralmente. O assédio moral é uma coisa clara, não tem dubiedade, não tem como você interpretar. O assédio é uma coisa que te fere, é grosseiro, te machuca, te incomoda e te desmoraliza”, disse Glória Maria.

“Eu estou cansada deste negócio. Os homens estão com medo. Eu quero ser paquerada, ainda estou viva, mas existe uma cultura hoje de que nada pode e nós mulheres sabemos bem a diferença de uma paquera, de um assédio e de uma abuso sexual. Se a gente não tiver a capacidade de ver isso, de observar… Caramba, por que a gente chegou até aqui?”, opinou a jornalista.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio