Sem sucesso na TV paga, Simba Content investe no cinema

Publicado há um ano
Por Neuber Fischer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Simba Content foi criada a partir da união do SBT, Record e RedeTV! em 2016. A joint venture, na época, tinha o objetivo de fortalecer os canais da TV aberta nas negociações com as operadoras de TV paga. Mas mesmo depois de uma longa queda de braço em busca de valorização de seus canais, a Simba fracassou e não conseguiu seu objetivo maior.

SBT, Record e RedeTV! chegaram a ficar fora do ar na TV paga porque não concordavam com o valor repassado para eles pelas operadoras. As emissoras começaram pedindo R$ 15 para serem distribuídos. No fim, diante do impasse, a Simba cedeu, seus canais voltaram ao ar na TV paga, mas eles não conseguiram receber o valor que desejavam. Eles recebem cerca de R$ 0,60 por assinante, que resulta, anualmente, em uma receita de R$ 130 milhões.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No ano passado a Simba tentou lançar um canal pago, mas sem sucesso. Ele ofereceram, mas as operadoras não se interessaram pelo projeto e a ideia foi por água abaixo. Pelo jeito, agora o foco é outro!

O tempo passou e a Simba Content volta ao cenário, mas desta vez para algo diferente. Em parceria com a Paris Entretenimento e a Paris Filmes, eles pretendem investir na coprodução e distribuição de filmes para o cinema e TV. Segundo a Simba, o objetivo é fomentar a produção audiovisual nacional.

A Simba vai fazer investimentos privados e não usará leis de incentivo para as produções das quais participará. A parceria prevê mais de dez filmes ainda em 2019, entre eles a cinebiografia de Silvio Santos. 

“A Simba Content é uma empresa que investe na Paris Filmes no momento em que o mercado do audiovisual busca formas de financiamento que não dependam apenas de verba pública”, diz Marcio Fraccaroli, CEO da Paris Filmes.

Carlos Alkimim, Diretor de Contratos e Distribuição da joint-venture, afirma que “A parceria é um novo passo em direção a um futuro promissor para as produções nacionais e reafirma a potencialidade da janela do cinema. Pretendemos fomentar ainda mais o mercado audiovisual brasileiro, com estratégias cada vez mais ousadas”, disse o gestor da empresa.

Para Renata Rezende, diretora executiva da produtora Paris Entretenimento, essa é uma notícia relevante para o mercado. “Temos um portfólio muito variado de filmes em pré- produção e produção, desde comédias a longas infantis e cinebiografias. Fazemos filmes para todos os públicos, desde os mais populares aos autorais. Por isso, novos parceiros são muito bem-vindos”, diz.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais