Se Joga homenageia 50 anos de Adriana Esteves e trabalhos na TV, mas “esquece” Renascer

Publicado há um ano
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na edição desta sexta-feira (13), o programa Se Joga, da Globo, homenageou a atriz Adriana Esteves. A atriz, atualmente no ar em Amor de Mãe e na reprise de Avenida Brasil, fará 50 anos de idade no domingo (15). No entanto, na homenagem, a Globo não citou o momento mais difícil da carreira de Adriana: a novela Renascer, produzida em 1993.

Na ocasião, Adriana foi criticada pelo papel da jovem Mariana. Ela foi considerada robótica e forçada no papel por crítica e por boa parte da imprensa. O fato fez Adriana Esteves entrar em uma forte depressão e recusar trabalhar em novelas nos anos 1990.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ela chegou a sair da Globo e assinar com o SBT, por exemplo. Só para ilustrar, na emissora de Silvio Santos a atriz participou de Razão de Viver, em 1996. Anteriormente, em 1994, ela recusou o papel de Babalu na novela Quatro por Quatro, um dos maiores sucessos da faixa das 19h na década. Tal papel ficou com Letícia Spiller.

Adriana Esteves em Renascer, de 1993 (Divulgação)

Depois das críticas, a volta por cima de Adriana Esteves

“Foram os anos mais difíceis da minha vida”, disse a atriz, em entrevista à revista Marie Claire, num dos raros momentos que falou sobre o que ocorreu com ela. No entanto, Adriana Esteves voltou para a Globo e se transformou uma das atrizes mais celebradas de sua geração.

O Se Joga relembrou vários papéis, como a Sandrinha de Torre de Babel, a Patrícia de Meu Bem, Meu Mal, Celinha de Toma Lá, Dá Cá, a Catarina de O Cravo e a Rosa e a Carminha de Avenida Brasil. Alguns internautas perceberam que a Globo esqueceu esse momento e comentaram na web. Todavia, cabe esclarecer que a intenção do programa foi relembrar personagens da atriz no ar enquanto ela comemorou outros aniversários seus. De maneira que, como Renascer terminou em novembro de 1993, um mês antes do aniversário de Adriana Esteves, não haveria mesmo como constar da matéria do vespertino.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio