Relembre cinco chiliques de Regina Duarte… nas novelas

Atriz interpretou personagens que participaram de grandes barracos na teledramaturgia

Publicado há 7 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta quinta-feira (7), Regina Duarte, que ocupa a secretaria especial de Cultura no governo do presidente Jair Bolsonaro, protagonizou um momento bastante negativo, mais um, numa trajetória que até pouco tempo atrás era coroada de passagens positivas.

Em plena entrevista à CNN Brasil, Regina Duarte se levantou de uma poltrona do próprio gabinete, onde se encontrava com o jornalista Daniel Adjuto, e abandonou a participação no CNN 360 pelo meio.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Vamos relembrar no Observatório da TV cinco chiliques e barracos dos quais Regina Duarte participou, interpretando algumas das mais icônicas personagens das novelas. Posição que, com toda a certeza, ela não deveria ter deixado.

Em Roque Santeiro (1985/86), de Dias Gomes com coautoria de Aguinaldo Silva, Regina deu vida à Viúva Porcina, respeitada, temida e cultuada na pequena Asa Branca. Sua primeira cena na novela já é um dos muitos chiliques que deu ao longo dos 209 capítulos.

Ao se deparar com um casal de gansos num dos lagos de sua propriedade, a poderosa repreende e humilha o empregado Rodésio (Tony Tornado). Afinal, sua ordem fora para comprar um casal de cisnes… A partir de 24’20”:

Também em Roque Santeiro, descontente com o vestido de noiva criado para ela por Jurandir (Cláudio Gaya), Porcina se descontrola. Também, diga-se, devido aos poucos modos da noiva de Sinhozinho Malta (Lima Duarte).

A histórica novela rende incontáveis cenas de chiliques de Regina Duarte, ou melhor, de Porcina. Revoltada com Sinhozinho, que deu o próprio carro de presente para a amiga Matilde (Yoná Magalhães), ela desconta sua ira e seu ciúme na pobre Mina (Ilva Niño), a empregada.

Em Vale Tudo (1988), de Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, Regina Duarte viveu outro papel que marcou sua carreira: Raquel Aciolli. Aqui pelo menos mais duas cenas que entraram para a antologia das nossas novelas.

Indignada com a atitude de sua filha Maria de Fátima (Glória Pires), capaz de prejudicá-la em seu romance com Ivan (Antonio Fagundes) para ficar bem com a futura sogra Odete Roitman (Beatriz Segall), Raquel estapeia a jovem e rasga seu caríssimo vestido de noiva.

A mesma Odete, que se configura em grande inimiga de Raquel no decorrer da história, acabou alvo de um chilique da mulher batalhadora e honesta. Num momento de levante contra a milionária, que ainda debocha dela com risinhos e meneios de cabeça, Raquel vira-lhe a mão na cara.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio