Record TV defende medida arriscada durante a pandemia

O canal falou sobre os cultos religiosos de forma presencial

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com a discussão no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o fechamento de igrejas na pandemia, o Jornal da Record da última segunda-feira (05) falou sobre as vantagens emocionais de praticar a fé em momentos difíceis e frequentar cultos religiosos de forma presencial.

Inicialmente, a jornalista Ingrid Gribel, que estava em frente ao Templo de Salomão, sede mundial da Igreja Universal do Reino de Deus, falou sobre o retorno dos cultos presenciais e defendeu que não há grandes riscos de contaminação da covid-19. A informação é do portal RD1.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quando você vai numa farmácia, você busca um remédio para o seu corpo. Quando você vai à Igreja, você busca um remédio para sua alma“, opinou o psiquiatra e membro da IURD, Davi Vidigal. “Ele que também é pesquisador, diz que se os fiéis frequentarem os cultos respeitando as medidas de distanciamento e usando mascaras, o perigo de contaminação é o equivalente ao de sair nas ruas em buscas dos serviços considerados essenciais“, diz a repórter.

O programa mostrou ainda que a abertura de cultos estimulam ações sociais, a exemplo das doações promovidas pela Universal. Em outra reportagem, a correspondente internacional Ana Paula Gomes mostrou a abertura de igrejas pela Europa durante o domingo de Páscoa. Templos de Portugal, Alemanha, Itália, Estados Unidos e Nova Zelândia apareceram na matéria, sem referências às imagens do catolicismo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio